Bebê indígena é sequestrado de dentro da Maternidade Mãe Luzia

Recém-nascido foi levado da enfermaria. A ação da sequestradora foi filmada pelo circuito interno de TV do hospital.

Um bebê indígena foi raptado da Maternidade Mãe Luzia, em Macapá, ontem (10), por volta das 15h30. O recém-nascido, que estava acompanhado da mãe, Serinã Waiãpi, de 31 anos, da aldeia Aramirá, da tribo Waiãpi, no município de Serra do Navio, foi levado da enfermaria. A ação da sequestradora foi filmada pelo circuito interno de TV do hospital. A mulher deixou a maternidade pela porta da frente sem ser incomodada pelos policiais que fazem a segurança da maternidade.
Segundo a assistente social da Casa de Apoio à Saúde Indígena do Amapá (Casai), Nayane Barbosa, Serinã Waiãpi deu entrada na maternidade às 21h de quarta-feira (9). Na madrugada do dia seguinte, às 4h30, ela deu a luz a um menino. Mãe e filho estavam na enfermaria 4, leito E.
O sequestro do bebê aconteceu por volta das 15h30, próximo ao encerramento do horário de visita. “A Serinã tem dificuldade em se comunicar porque ela não fala português. O que me passaram foi que uma mulher usando um jaleco do hospital teria dito a ela que levaria o bebê para trocar de roupa e tomar a vacina e acabou deixando a maternidade com a criança no colo”, revelou.
O secretário estadual de Segurança Pública, Marcos Roberto Marques, não confirma se a mulher teria ou não se passado por funcionária da maternidade. Mas, reconheceu que o governo falhou na segurança. “Realmente houve omissão no controle dessa saída. Estamos investigando para saber como isso aconteceu”, admitiu.
A foto tirada do circuito interno e distribuída à imprensa mostra o momento exato que a mulher deixa a maternidade com o recém-nascido no colo em companhia de outra mãe. Segundo uma paciente, que pediu para não ser identifica com medo de represália, na enfermaria tinham três bebês. Antes de raptar o indígena, ela teria tirado fotografia de todos.
O caso está sendo investigado pelas polícias Federal e Civil. “Nós temos uma suspeita e estamos trabalhando para recuperar o bebê. Já montamos barreiras em todas as saídas de Macapá e Santana, além de estradas, aeroporto e porto”, disse Marcos Roberto.

Fonte: http://www.jornalagazeta-ap.com/

Deixe uma resposta