O Turismo do Estado não funciona

A nova Secretária, depois de quase dois meses da sua posse, ainda não disse a que veio e, mostrou que vai fazer pelo Turismo amapaense, o mesmo que suas três antecessoras:  NADA!

O Governador Camilo na SETUR, trocou seis por meia dúzia, saímos de Guatemala e entramos em “Guatepior”, ou seja, colocou na Secretaria, uma pessoa que, além de não entender nada de Turismo, mostrou nestes dois meses que não possui talento administrativo nem gestão competente e, entregou os dois mais “importantes” Departamentos da sua Secretaria (o Setor de Planejamento e o Setor de Eventos), nas mãos de: amadores, apadrinhados políticos e curiosos.

Foi patético, na vinda dos Transatlânticos, ver o imediatismo da Secretária Helena, indo a mídia solicitar a presença de taxistas e empresários para receber os Turistas que iam desembarcar.

Para que, Secretária?

A Senhora viu o lixo que é o Porto de Santana, e o estado deplorável em que se encontra o local de desembarque?

A Senhora sabia que quem esta lucrando com a vinda dos Transatlânticos ao Amapá é um Agente de Viagens de Manaus e outro de Belém?

A Senhora sabia que, intérpretes Profissionais egressos do Danielle Mitterrand (francês), e do Yazigi (inglês), foram enxotados do Porto pelo Agente paraense alegando que ele traz seus próprios intérpretes?

A Senhora sabia que na “Casa do Artesão”, foi necessária a intervenção da Diretora Acadêmica de uma Faculdade local, que ali se encontrava, para acalmar Turistas furiosos por que o “intérprete” paraense não conseguia lhes repassar os preços das mercadorias?

A Senhora sabia que obra em mãos deste Jornalista, cópia de uma carta enviada a EMBRATUR pela socialite paulista Walkiria Mendes Caldeira, passageira do último Transatlántico que aportou em Santana em 2010, criticando o “amadorismo” do Receptivo amapaense?

Em março se realizará em Miami (EUA), um Congresso Mundial de Operadores de Cruzeiros. Que tal mandar alguém qualificado para inserir diretamente (sem intermediários), o Amapá nos Roteiros?

O Turismo de Transatlânticos é um grande gerador de receita, porém, o Receptor tem que ter uma infraestrutura que nós não possuímos.

EMPRESA AMAPAENSE DE TURISMO

Vou repetir mais uma vez, a única saída plausível, para alavancar e fazer acontecer o Turismo amapaense, é a criação da Empresa Amapaense de Turismo (AMAPATUR), nos moldes da RIOTUR, da PARATUR ou da BAHIATURSA, composta por representantes do Trade Turístico, Entidades de Classe, Comunidade Científica e Sociedade Civil Organizada. A SETUR é uma Secretaria Política.

A AMAPATUR poderá organizar e colocar em prática um “Calendário de Eventos”, decente, trazendo pela primeira vez ao Amapá, Turistas de outros estados. Poderá também, criar opções convidativas e inteligentes de “Turismo Receptivo”. Irá a continuação “Qualificar nossa Mão de Obra” que é da pior qualidade.

Aí sim interessaremos o Governo Federal para alocar Recursos para “Infra-estrutura”, e inseriremos o Amapá nos Roteiros de Agentes de Viagem e Operadores do Brasil todo e do exterior.

Criará também a AMAPATUR um selo azul de Qualidade com que serão agraciadas as empresas que “qualifiquem seus Funcionários”, obedeçam e cumpram as especificações da ANVISA e pratiquem tarifas condizentes com a realidade regional e nacional.

Longe de mim, querer dar nenhuma receita de bolo e nem crucificar ninguém, estou apenas querendo alertar a os gestores de nosso Turismo, que se estão cometendo os mesmos erros grotescos cometidos pelas três administrações anteriores.

Eu tinha grandes expectativas de mudanças, e sinceramente, esperava muito mais da Secretária Helena Colares.

É para mim um privilégio poder escrever para o povo do Amapá.

Um Bom Domingo para todos.

Professor Rubens Caran
Mestre em Turismo – MBA em 3° Setor – Jornalista & Escritor

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: