Diretoria da CEA recebe apoio de Randolfe

Senador vai dar apoio político em busca de solução para a Companhia

A Diretoria da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) reuniu com o senador Randolfe Rodrigues (Psol/AP), nesta sexta-feira, 4, no gabinete da presidência. O legislador se comprometeu em dar apoio político ao Governo do Estado nessa busca por alternativas para solucionar o problema de endividamento da Companhia e evitar a caducidade proposta pelo Ministério das Minas e Energia (MME).

O presidente da CEA, José Ramalho, informou os procedimentos adotados desde janeiro passado, como a redução do custo fixo da empresa em R$ 2,5 mi. Falou do empenho pessoal do governador Camilo Capiberibe em buscar uma solução viável para salvar a Companhia que é fundamental para o desenvolvimento do Estado. Ele repassou ainda todas as informações sobre as Reuniões no Ministério e os encaminhamentos do Grupo de Trabalho composto para esse fim.

Ramalho explicou ao senador que o modelo de federalização proposto pelo MME é prejudicial para o Amapá. Segundo ele, a única proposta colocada à mesa de negociações estabelece que o Estado tem que arcar com a dívida suposta de R$ 1,4 bi e, depois de sanear a empresa, entregá-la à União. A CEA propõe uma auditoria nas contas para recalcular a dívida com exclusão de juros e multas.

O presidente destacou que o modelo de federalização adotado para outros Estados, como Alagoas e Piauí, o Governo Federal assumiu as dívidas que foram pagas com recursos da Reserva Global de Reversão (RGR), com um custo total de R$ 30 bi retirados desse fundo. “Não somos contra a federalização, mas contra esse modelo imposto. Queremos o mesmo tratamento dado aos outros Estados para o Amapá”, afirmou Ramalho.

O senador Randolfe disse que é bom que as informações sejam niveladas. A primeira informação que teve foi de que a CEA estava em “estado terminal” e a única solução seria a federalização, uma bandeira que destacou ter usado em campanha, acreditando ser a única solução. Elogiou a diretoria pela coragem na adoção das medidas internas e que diante dos fatos colocados também acredita que “esse modelo que foi proposto de federalização não serve para o Amapá”. Randolfe destacou que é favorável a um modelo que não seja danoso para o Estado.

A reunião foi encerrada com o senador assumindo o compromisso de agendar com a bancada federal do Amapá uma exposição sobre a situação atual da CEA. Para ele, esse é momento de unir forças para que seja travada uma batalha política em busca da melhor alternativa para o Estado.

Participaram do encontro o diretor Administrativo Financeiro, Azolfo Gemaque, o diretor técnico substituto, Rogério Cardoso, pela CEA, e Charles Chelala, chefe de gabinete do senador, em Macapá.

Gilvana Santos

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: