FOI FEITA JUSTIÇA!

Com a última palavra dada pelo Ministro Fux, a Justiça brasileira desfez um gravíssimo erro que ela mesma tinha cometido.

Não sou do PSB nem eleitor cativo de nenhum candidato, já votei em Capi, Janete e Camilo, mas também já votei contra Camilo, mas já externei minha indignação pela inconseqüência da Justiça Eleitoral.

Ora, se Capi e Janete estavam inelegíveis, para que registrá-los como candidatos e colocar a foto deles nas urnas eleitorais?

Isso não configura uma falta de respeito ao eleitor?

Não estou aqui questionando as boas intenções de quem elaborou a lei da Ficha Limpa, o que eu questiono, é a Lei ser manipulada a ”bel prazer”, pelos poderosos do Senado e do Parlamento para perseguir e punir seus desafetos.

Aqui para nós, se a lei da Ficha Limpa, fosse aplicada na íntegra e sem poupar ninguém, o nosso Senado e nosso Parlamento teriam que fechar para balanço, pois sobraria pouquíssima gente…

Além do mais, nossos magistrados têm que entender que, a vontade do povo, esta acima de qualquer interesse político partidário.

O povo é soberano, ele tem a última palavra, e se o povo já tinha decidido por Capi e Janete nas urnas, nenhum corpo colegiado, por mais especial que seja, poderia tira-lhes o mandato sem desrespeitar a nossa Constituição, na qual reza que: a vontade popular expressada nas urnas, esta acima de qualquer interesse.

Já o Superior Tribunal Eleitoral, para agradar os donos do Senado e do Parlamento, depois de registrar as candidaturas, colocar foto e número nas urnas eleitorais, se sentiu no direito de cassar os candidatos desafetos dos poderosos.

Também acho um despropósito se julgar o caso da Ficha Suja de forma coletiva, tem que ser examinados caso a caso, pois cada caso tem suas peculiaridades e desse modo não se corre risco de se cometer injustiças.

Além do mais, se acostumamos nossa classe política a ingressar no Parlamento e no Senado pela janela, sem precisar ser eleitos pela maioria dos eleitores, estaremos correndo o risco dos políticos criarem uma indústria de denúncias de compra de votos, para tirarem no tapetão os mandatos obtidos licitamente nas urnas, ignorando por completo e desrespeitando a vontade popular que é sagrada.

Fala-se muito em “Ajuste de Conduta”, mais acho que esse ajuste deve começar pelos responsáveis pelas nossas instituições, eles devem entender de uma vez por todas que, são empregados do povo e não de algumas dúzias de poderosos que se locupletam pelo Planalto, pelo Parlamento e pelo Senado.

Já em nosso Amapá, a permissividade da AL, esta inviabilizando a governabilidade do estado.

Nossos Parlamentares estão hostilizando sistematicamente todos os Projetos do Executivo, sessenta por cento de nosso atual Parlamento, são os mesmos que ajudaram a administração dos últimos oito anos a afundar nosso estado na lama e acabou com muito figurão preso  pela “Operação Mãos Limpas” da Polícia Federal.

Até a mesa Diretora da Casa, que entrou pela janela com a conivência do TJAP, esta composta na sua totalidade por remanescentes e aliados do governo Góes.

Tá na cara que nós amapaenses, ainda não aprendemos a votar.

TURISMO: Na próxima terça feira, vai aportar no “imundo” Porto de Santana, mais um Transatlântico, e pagaremos mais um mico. “Gostaria de pedir a mídia que em lugar de fotografar e filmar nossa Secretária de Turismo falando abobrinhas, filmassem e fotografassem (por dentro e por fora), os ônibus que irão transportar os Turistas de altíssimo poder aquisitivo que virão no Cruzeiro”. Para o povo amapaense poder constatar com a “permissividade” com que o Turismo é tratado em nosso estado.

Concordo em gênero, número e grau com o poeta amapaense autor de: “Vinte centavos de Poesía”, que diz que Cabral deveria ter ficado em Portugal comendo Bacalhau e bebendo Vinho do Porto, já que a herança que nos deixou, é uma classe política de ex detentos/as da “Operação Mãos Limpas” governando nosso estado.

 

Professor Rubens Caran
Mestre em Turismo – MBA em 3º Setor – Jornalista & Escritor

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: