Patrícia Bastos encanta Sampa com show neste sábado

A cantora Patrícia Bastos é a grande estrela neste sábado, 7, no show patrocinado pela Fundação Itau Cultural e que faz parte do projeto Rumos Música Mapeamento, que acontece em São Paulo. O show é parte de cinco apresentações.

Do dia 4 ao dia 8 (quarta-feira a domingo), sempre às 20h, o público confere as apresentações dos paulistas Tulipa Ruiz, Guizado, Rogério Rochlitz e Projeto B, e da única amapaense e nortista selecionada pelo projeto, Patrícia Bastos. Eles integram a etapa de difusão, iniciada em abril, dos 25 artistas contemplados nesta categoria a serem apresentados ao público ao longo do ano.

Todos os espetáculos serão gravados ao vivo para compor um programa de 30 minutos, contendo partes do show e entrevistas, que será disponibilizado na web e nas tevês parceiras do Itaú Cultural em todo o Brasil.

Considerada uma das maiores revelações da música brasileira no último ano, Tulipa abriu a programação no dia 4 de maio (quarta-feira). Efêmera, seu elogiado álbum de estreia, lançado em maio de 2010, comandou a apresentação, que primou pela empatia do repertório e pela espontaneidade da cantora no palco.

Na quinta, dia 5, o trompetista Guilherme Mendonça mostrou ao público o seu Guizado, tendo como convidado especial Júpiter Maçã. Músico que já dividiu o palco com artistas como Elza Soares, Gal Costa, Cidadão Instigado e Nação Zumbi, Guizado começou a apostar em sua própria música em 2008, fundindo sintetizadores e samplers com a sonoridade orgânica de trompete, bateria, baixo e guitarra. O resultado sonoro foi uma música que traz beats, batuques, riffs de rock’n’roll e fraseados jazzísticos, presentes tanto no elogiado disco de estreia Punx (2008) quanto em seu atual trabalho, Calavera (2010), no qual o rock se apropria de recursos da música eletrônica e da liberdade de improvisação do jazz.

O instrumental contemporâneo também marca a apresentação do pianista Rogério Rochlitz, nesta sexta-feira, 6. Tecladista, compositor, arranjador e produtor musical, Rochlitz tem três discos lançados: Tango Zulu (2000), Carro de Boy (2004) e Cores (2009). Trabalha como tecladista com o Trio Mocotó – com quem já excursionou por cerca de 20 países -, e com a Banda Farufyno, entre outros. Além de compor trilhas para balés e filmes, também produz instalações sonoras em parceria com a artista plástica Regina Silveira.

Mas a presença mais esperada no palco do Rumos Mapeamento é da amapaense Patrícia Bastos. Ela desembarcou em São Paulo acompanhada pelos músicos paraenses do Trio Manari para mostrar as composições do mais recente CD, Eu Sou Caboca (2009), no show que realiza sábado, dia 7 de maio. A cantora, que vem se apresentando ao lado de grandes nomes da música nacional – como Leci Brandão, Vitor Ramil, Lô Borges e Lula Barbosa – passou a ser chamada de Voz de Anjo após receber o prêmio de melhor intérprete, no Festival de Tatuí (2001), e arrancar elogios de Alceu Valença, entre outros.

Com quatro discos lançados – Pólvora e Fogo (2002); Patrícia Bastos in Concert (2004); Sobretudo (2007) e Eu sou Caboca (2009) – Patrícia trafega da MPB contemporânea à música regional e mostra um repertório composto por Gogó do Nego (ZecaBaleiro e Joaozinho Gomes); Crença (Celso Viáfora) e Filho de Uarana (Rafael Alterio, Pedro Altério e Rita Altério), além de Eu sou Caboca (Celso Viáfora e Joãozinho Gomes), que é a base do show.

A cantora volta aos palcos na quarta, dia 11, na Sala Crisantempo, também na capital paulista.

SERVIÇO

Patrícia Bastos

Sinopse: Patrícia Bastos flerta com diferentes gêneros musicais como a MPB, o country, o pop e a música regional. Patrícia foi ganhadora do Festival de Tatuí, do Festival Internacional de Goiás e do I Festival da Canção Amapaense.

Músicos: direção musical e violão de Dante Ozzetti; sax e flauta de Bibi Tauá; contrabaixo de Du Moreira; percussão do Trio Manari; convidado especial, Paulo Bastos – irmão de Patrícia, ele irá tocar caixa de marabaixo, instrumento fundamental para o show, pois irá garantir o suingue do espetáculo. Já a produção executiva é por conta de Drika Bourquim.

Itaú Cultural – Sala Itaú Cultural

Avenida Paulista 149 – Paraíso [próximo à estação Brigadeiro do metrô]
informações 11 2168 1777

Entrada franca – ingresso distribuído com meia hora de antecedência (247 lugares)

Deixe uma resposta