Servidores Municipais de Macapá paralisam atividades e ocupam a sede da PMM


Foi uma questão de erro na redação” diz Prefeitura em resposta ao decreto que determina o cortes de gratificações

A paralisação de advertência com indicativo de greve, liderada pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Macapá, em protesto a aplicação do Decreto 2508/11, que determina o corte no pagamento de gratificações e adicionais, como: insalubridade, hora extra e periculosidade, resultou na tomada da sede da PMM pelos manifestantes no início da manhã desta quinta (26).

Após o ato de protesto ocorrido ao longo da Avenida FAB os servidores adentraram a Câmara Municipal para solicitar o apoio dos parlamentares daquela casa. Em seguida uma comissão se dirigiu à sede da PMM e sobre pressão sindical, apoiada por alguns vereadores e pelo presidente da Câmara, o porta voz do Prefeito Roberto Góes, senhor Raimundo Guedes, anunciou que o Decreto será revogado, e justificou que um erro na redação do documento foi o que teria gerado a má interpretação quanto à intenção do Prefeito, que seria de reorganizar a folha de pagamento.

Contudo, será mantida a análise individual na conta de cada servidor, que deve ocorrer no prazo de 60 dias. Na próxima segunda feira (30), também devem se reunir Sindicato e vereadores e o prefeito Roberto Góes, para deliberar pautas específicas pertinentes a cada seguimento, de onde deverão ser nomeadas comissões setoriais, que contarão com a contribuição de técnicos responsáveis por analisar questões de produtividade e afins.

Aderiram ao movimento cerca de 5 mil servidores de diversas categorias atuantes no município. Agentes de endemia, fiscais de tributo, servidores do setor da saúde e da educação foram alguns dos que estiveram presente na ação.(ASCOM SSMM)

Versão da  prefeitura

Prefeito Roberto Góes revoga decreto que acabava com benefícios de servidores. Comissão irá estudar caso a caso para identificar possíveis irregularidades
O Prefeito Roberto Góes anunciou hoje pela manhã em entrevista coletiva, que vai revogar o decreto que previa a extinção imediata de benefícios como horas extras e adicionais noturnos pagos indevidamente a servidores do quadro municipal. A medida foi tomada após a identificação de inúmeras situações onde o pagamento era feito sem a pessoa estar excedendo a carga horária normal ou exercer as funções no turno da noite.

O Decreto acabou gerando confusão no meio sindical. Os representantes procuraram a Câmara de Vereadores para intermediar as negociações. Uma comissão foi organizada e recebida pela chefia de gabinete no Palácio Laurindo Banha, mas antes de qualquer reunião prévia com os parlamentares municipais, o prefeito antecipou a decisão de revogar os efeitos do documento, resolvendo o tumulto.

A medida a ser tomada após o ato é a criação de uma comissão para averiguar o caso de cada servidor e detectar irregularidades. “Quem estiver trabalhando de verdade, claro que vai receber por isso, o que não podemos é continuar pagando uma fortuna a quem não se encaixa nesses quadros”, disse o prefeito referindo-se ao montante pago com os benefícios fantasmas.

Ele acredita que com o corte dos pagamentos indevidos o município terá uma economia significativa no orçamento, que irá significar a possibilidade de estabelecer um reajuste para as categorias, maior do que o oferecido pelo Estado, estipulado em 3%.

“As medidas tomadas por nossa administração servem para enxugar a máquina. Temos que tornar o município viável financeiramente. Identificando esses pagamentos que não eram para ser feitos, vamos economizar muito e até poder reajustar o salário dos nossos servidores”, explicou Roberto Góes.

José Marques Jardim

2 comentários em “Servidores Municipais de Macapá paralisam atividades e ocupam a sede da PMM

  • Maio 27, 2011 em 6:42 am
    Permalink

    Falta divulgar a paralisão dos professores do Estado ….

    Resposta
  • junho 6, 2011 em 10:31 pm
    Permalink

    A revogaçõ deste decreto é mérito dos servidores municipais de macapá que se mobilizaram e de alguns vereadores, o sindicado dos servidores municipais de Macapá-SSMM, esta desmoralizado e sem prestigio algum. Esta atual diretoria é acusada de várias irregularidades como fraude elitoral em 2005 e 2008, prestação de contas feitas as escondidas e por último colocaram a sede do SSMM a disposição da justiça do trabalho sobre pênhora.
    Existem documentos que comprovem estas irregulariddes.

    Resposta

Deixe uma resposta