Ibama autoriza construção de Santo Antônio do Jari


O Ibama liberou nesta sexta-feira a licença de instalação que permitirá a construção da hidrelétrica de Santo Antônio do Jari, na divisa do Amapá com o Pará.

Sob responsabilidade do consórcio ECE Participações, a usina terá capacidade para gerar 373,4 megawatts e integra o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

Segundo o Ibama, a obra será executada em uma área que era destinada à produção de papel, no âmbito do Projeto Jari. Assim, não será necessário desmatar floresta nativa na região para a instalação do canteiro de obras.

A usina deve inundar uma área de aproximadamente 31,7 quilômetros quadrados e terá de entrar em operação em 2014, segundo relatório da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

O Ibama exigiu dos empreendedores a manutenção de uma vazão mínima no rio Jari para preservar o uso turístico da cachoeira Santo Antônio.

Na quarta-feira, o Ibama já havia autorizado a construção da hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, que terá potência de 11,2 mil MW. (Fonte: Folha.com)

2 comentários em “Ibama autoriza construção de Santo Antônio do Jari

  • junho 6, 2011 em 5:13 pm
    Permalink

    poxa… pensei que talvez pudessemos aproveitar um pouco mais desta beleza, visto que os esta geração de energia elétrica é de uso puramente industrial, destinado à responder a uma demanda exterior à Amazônia e levada à cabo de maneira inadequada para a Amazônia. O Papel ainda representa o deserto verde no meio da floresta e não aporta grandes divisas para os povos da floresta e isso não mudou. Ira atingir muitas comunidades castanheiras que ja enfrentam inumeras dificuldades, como a RDS do Iratapuru… Poxa, pensei que com um novo governador, filho de um Capi sustentavel, talvez o interesse publico fosse preservado em detrimento des interesses privados econômicos… Seria muito mais caro substituir este 370megawats por um campo de eólicas? Tenho absoluta convicção que uma solução inovadora e mais ecológica e social poderia recolocar o Amapá na vanguarda do sustentável, além de capitalizar de uma outra maneira, muito mais inclusiva.. poxa, mas quanta decepção em tão pouco tempo.. Senador, por favor, recoloque esse estado na vanguarda e poderemos ajudar, esta usina não é para o povo, o papel ja é passado na sua existência mesmo, desamarremos-nos do passado! Eu vou filmar essa triste historia…

    Resposta
  • junho 6, 2011 em 7:06 pm
    Permalink

    A cachoeira de Santo Antônio esteve sempre inacessível ao turismo por exemplo. Nunca foi pensada como lugar de contemplação da beleza natural amazônica. Agora é fácil perceber a razão. Servirá ao lucro inescrupuloso. Esse tipo de desenvolvimento que execra a vida. Eu lamento profundamente.

    Resposta

Deixe uma resposta