Cerca de 260 imigrantes cubanos entram em greve de fome no México

Cidade do México – Cerca de duzentos e sessenta imigrantes cubanos, entre eles mulheres e crianças, entraram em greve de fome para exigir melhores condições no alojamento imigratório onde se encontram à espera de que suas situações jurídicas sejam definidas.

Os cubanos, que se encontram em uma instalação do Instituto Nacional de Imigração (INM, na sigla em espanhol), no estado de Chiapas, reclamam, entre outras coisas, do atraso dos trâmites migratórios.

Familiares dos imigrantes afirmaram, do lado de fora do alojamento, onde aguardam notícias sobre eles, que as autoridades racionam comida e que não há colchões e cobertores suficientes para as pessoas.

Ainda de acordo com os familiares, os cubanos também são “obrigados a dormir no chão em condições insalubres”, o que fez com que alguns ficassem doentes e sem receber assistência médica adequada.

Outra das queixas dos imigrantes é que eles têm sofrido extorsões dos funcionários do INM com a promessa de agilizar os trâmites burocráticos.

A greve de fome foi iniciada na segunda-feira mas foi suspensa duas horas depois assim que foi concedido um salvo-conduto a trinta pessoas para que eles possam ser transferidas para os Estados Unidos. No entanto, eles decidiram recomeçar o protesto na quarta-feira.

 

(ANSA)

Deixe uma resposta

WhatsApp chat