Ministério Público e Polícia Civil deflagram Operação Eclésia no Amapá

A operação foi realizada na manhã desta terça-feira, 22

Na manhã desta terça-feira, 22, o Ministério Público do Estado do Amapá em conjunto com a Polícia Civil, deflagrou a Operação Eclésia, que objetivou a realização de 19 mandados de busca e apreensão de documentos e equipamentos de informática, com o fim de instruir Inquéritos Civis Públicos em curso na Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Cultural e Público de Macapá.

Os Inquéritos Civis apuram eventuais atos de improbidade administrativa na gestão da Assembleia Legislativa do Amapá. Alguns documentos, dentre eles, notas fiscais e folha de pagamento de funcionários, já haviam sido requisitados pelo Ministério Público, mas não houve o atendimento por parte da AL.

Em entrevista coletiva à imprensa, concedida pela procuradora-geral de Justiça Ivana Lúcia Franco Cei, pelo promotor de Justiça Afonso Guimarães, pelo delegado-geral de Polícia Tito Guimarães Neto e pelo delegado Leandro Leite foi informado sobre as próximas ações após a operação. “Agora vamos iniciar a fase de análise das provas para apoiar as investigações, e, aquilo que não for utilizado, será restituído aos interessados”, garantiu o promotor de Justiça Afonso Guimarães.

Segundo a procuradora-geral de Justiça, Ivana Lúcia Franco Cei, a Operação Eclésia vem de uma investigação de muitos meses, pautada em provas concretas. “Nenhuma tentativa de denegrir a imagem do Ministério Público e de seus membros, muito menos o pedido de afastamento da procuradora-geral, vai fazer parar as atividades e ações do Ministério Público”, ressaltou Ivana Cei.

“Realizamos um trabalho em parceria com o MP-AP, que teve todo um período de investigação. As atividades foram desenvolvidas conforme o planejado e acredito quero alcançamos o resultado esperado”, disse o delegado de Polícia Leandro Leite que coordenou a Operação com mais 25 delegados da Polícia Civil do Amapá.

SERVIÇO:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá

Contato: asscom

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: