NASA cria exame que detecta osteoporose precocemente

Exame espacial

Cientistas financiados pela NASA estão desenvolvendo uma nova técnica para diagnosticar a osteoporose em seus estágios iniciais.

O novo exame foi desenvolvido porque os astronautas sofrem grande perda de estrutura óssea devido à baixa gravidade no espaço.

O problema é mais grave nas missões mais longas, a bordo da Estação Espacial Internacional, quando os astronautas permanecem por seis meses ou mais no espaço.

Aqui embaixo, a doença passa despercebida por anos, frequentemente só sendo diagnosticada depois que o enfraquecimento dos ossos levou a uma fratura.

Cálcio na urina

Como fazer exames no espaço não é simples, o novo teste procura vestígios de calcificação óssea na urina.

O exame analisa os isótopos de cálcio presentes na urina – isótopos são átomos de um elemento que se diferenciam ligeiramente uns dos outros pela massa.

O Dr. Ariel Anbar, coordenador da pesquisa, explica que o desequilíbrio nos diversos isótopos de cálcio indica alterações na densidade óssea com muita precisão.

A técnica mostrou-se mais sensível na detecção da perda de massa óssea do que os raios X usados hoje para isso.

Teste humano

Por enquanto, a técnica foi testada em laboratório.

“É uma prova de conceito. Nós demonstramos que o conceito funciona como esperado em pessoas saudáveis em um experimento controlado,” disse Anbar.

“O próximo passo é ver se ele funcionará como esperado em pacientes com doenças que provocam alterações ósseas. Isso abriria as portas para sua aplicação clínica,” concluiu.

Diário da Saúde

Deixe uma resposta