Criança sentiu-se mal e foi levada para o hospital, onde chegou já morto

 

Pais do bebê devem processar hospital por negligência

Foto: Arquivo Pessoal

Uma criança de dois anos acordou no próprio velório, sentou-se no caixão e pediu água. A situação, relatada por familiares, aconteceu no último sábado, em Belém, no Brasil. Depois disto, o menino voltou a sentir-se mal e foi levado para o hospital, mas chegou já morto.

Agora, de acordo com a edição online do jornal «Folha de São Paulo», a Polícia Civil do Pará investiga se houve erro médico na declaração da «primeira morte». Mas os populares da ilha de Cotijuba, onde tudo aconteceu falam em milagre ou algo sobrenatural.

O menino tinha sido internado na sexta-feira, com febre e falta de ar. Nesse mesmo dia, de acordo com o jornal, o hospital constatou a morte da criança, apontando como causa do óbito insuficiência respiratória, broncopneumonia e desidratação.

O cadáver da criança foi tratado, os orifícios do corpo foram tapados, embrulhado numa saco funerário e enviado para a morgue. De acordo com o hospital, ele esteve mais de três horas nestas condições, sem conseguir respirar, mas a família garante que abriu o saco plástico e retirou o algodão das narinas e da boca.

As pessoas presentes no funeral asseguram que o menino esteve «a mexer-se o tempo todo», até que alguém lhe fez massagem cardíaca. O menino acordou, cuspiu restos de algodão que tinha ainda na boca e disse: «Pai, água».

A situação provocou o pânico e a avó do menino chegou a desmaiar.