Amazônia, Brasil, Saúde

No Amapá a meta é vacinar 70,7 mil crianças contra a pólio

A campanha de vacinação contra a poliomielite começa amanhã (16)

Começa neste sábado (16), em todo o Brasil, a campanha de vacinação contra a paralisia infantil. Cerca de 115 mil postos estarão abertos, das 8 horas às 17 horas, para atender as crianças menores de cinco anos

A campanha de vacinação contra a poliomielite começa amanhã (16) com a realização, em todo o país, do Dia D de Mobilização. Das 14,1 milhões de crianças com menos de cinco anos, a meta é vacinar 95%, o que corresponde a 13,4 milhões. O Ministério da Saúde repassou 21,2 milhões de doses da vacina para todas as secretarias estaduais do Brasil. Para o Amapá foram repassadas 106.100 doses para atender a população alvo que é de 70.700 crianças. A campanha começa neste sábado e termina no dia 06 de julho.

No “Dia D” de mobilização nacional, em todo o país, 115 mil postos de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS) estarão preparados para atender, das 8 horas às 17 horas, pais ou responsáveis que levarem crianças menores de cinco anos para tomar as duas gotinhas da vacina contra a pólio. Além das unidades permanentes, shopping centers, rodoviárias, escolas, entre outros locais, vão receber postos móveis de vacinação. Cerca de 350 mil pessoas estarão envolvidas na campanha, com a utilização de 42 mil veículos, entre terrestres, marítimos e fluviais.

ETAPA ÚNICA

Até 2011, o país realizou duas etapas da campanha, em junho e agosto, com a vacina oral. Esta estratégia apresentou excelentes resultados ao longo dos anos, alcançando as metas estabelecidas para cada etapa. No ano passado, a cobertura na primeira etapa chegou a 100%. Já na segunda etapa, a coberta vacinal foi de 99%.

Em 2012, ao contrário dos anos anteriores, a campanha acontecerá em etapa única. A partir de agosto, além das gotinhas disponibilizadas nas campanhas anuais de vacinação, as crianças que estão começando o esquema vacinal, ou seja, nunca foram vacinadas contra a paralisia infantil, irão tomar a primeira dose aos dois meses e a segunda aos quatro meses, com a vacina inativada poliomielite, de forma injetável. Já a terceira dose (aos seis meses), e um reforço (aos 15 meses) continuam com a vacina oral.

Antes, a criança tomava duas gotinhas aos dois meses, aos quatro meses, aos seis meses e aos 15 meses de idade, além das doses durante as campanhas nacionais de vacinação.

A introdução da Vacina Inativada Poliomielite (VIP), com vírus inativado, vem ocorrendo em países que já eliminaram a doença. A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), no entanto, recomenda que os países das Américas continuem utilizando a vacina oral, com vírus atenuado, até a erradicação mundial da poliomielite, o que garante uma proteção de grupo.

A vacina contra a pólio é segura. Ela se destina as crianças menores de cinco anos, mesmo as que estejam com tosse, gripe, coriza, rinite ou diarréia.

O Ministério da Saúde está investindo R$ 37,2 milhões em repasses do Fundo Nacional de Saúde para os estados e municípios. Além deste valor, o Ministério da Saúde também destinou R$ 16,7 milhões para a aquisição das vacinas.

A DOENÇA

A poliomielite, ou paralisia infantil, é uma doença infecto-contagiosa viral aguda que atinge principalmente crianças de até cinco anos. É caracterizada por quadro de paralisia flácida de início súbito, principalmente nos membros inferiores. Sua transmissão ocorre pelo Poliovírus, que entra pela boca. Ele é carregado pelas fezes e gotículas expelidas durante a fala, tosse ou espirro da pessoa contaminada. Falta de higiene e de saneamento na moradia, além da concentração de muitas crianças em um mesmo local favorecem a transmissão.

O período de incubação (tempo que demora entre o contágio e o desenvolvimento da doença) é geralmente de 7 a 12 dias, podendo variar de 2 a 30 dias. A transmissão também pode ocorrer durante o período de incubação.

A transmissão da doença ocorre por via oral, sendo que o poliovírus pode estar presente nas fezes e gotículas expelidas durante a fala, tosse ou espirro da pessoa contaminada favorecendo a contaminação das pessoas não vacinadas. A doença pode causar danos irreversíveis, dependendo da gravidade pode evoluir para óbito.

O último caso da doença no país foi registrado em 1989, na Paraíba. Em 1994, o país recebeu da Organização Mundial da Saúde (OMS) o certificado de eliminação da doença. Embora não haja circulação do vírus no Brasil, neste ano, 16 países registraram casos de paralisia infantil e em três deles a doença é endêmica: Afeganistão, Nigéria e Paquistão. Por isso, para evitar a reintrodução do vírus no Brasil, é fundamental a manutenção da vacinação.

A aplicação das gotinhas tem como objetivo manter o Brasil na condição de país certificado internacionalmente para a erradicação da poliomielite, estabelecendo proteção coletiva com a vacinação de todas as crianças menores de cinco anos no mesmo período. Esta estratégia também permite a disseminação do vírus vacinal no meio ambiente, ajudando a criar a imunidade de grupo. É importante ressaltar que não existe tratamento para a pólio, apenas a prevenção por meio da vacina.

Sobre Chico Terra

Este site é independente e sobrevive de pequenos anúncios e doações. Deposite qualquer quantia na conta Banco do Brasil AG2508-8 CC38020-2 e colabore para a manutenção deste espaço independente da cultura e informação da Amazônia.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Parceiro

Relaxando corpo e mente

Lançamento

Música da semana

Instagram do Chico Terra

Toca Amazônia agora na tv web
Via CHICOTERRA.COM Flagra de pura ternura. Faculdade Immes ganhou uma especialista que vai repassar conhecimento aos futuros assistentes sociais do Amapá. Parabéns professora! Viva Rebecca! No bar do Nego. Live!

Estatísticas

  • 934,809 visitas únicas desde 23/04/2012
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 12.330 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: