Brasil, Notícias

Google vence Xuxa na Justiça

A apresentadora Xuxa Meneghel perdeu ação que movia desde 2010 contra o Google. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) deu ganho de causa ao site. Com isso, as fotos e vídeos em que a apresentadora aparece nua ou em cenas de sexo não vão deixar de aparecer como resultado de busca na internet. De acordo com a decisão do STJ, o Google não deve suprimir os resultados, pois não é o responsável pela publicação dos conteúdos, mas apenas uma ferramenta de pesquisa.

A ex-modelo tinha processado o site, tentando impedir que o Google mostrasse pesquisas a partir de buscas que combinassem o seu nome com as palavras “pornografia” e “pedofilia”. Essa combinação devolvia resultados como o filme Amor Estranho Amor, de 1979, onde Xuxa desempenhava o papel de uma prostituta que aparece em cenas eróticas com um menino de 12 anos.

Hoje, ao digitar os termos no site de buscas, o internauta tem acesso a mais de 150 mil resultados, entre fotos da apresentadora nua e cenas do polêmico longa-metragem. Uma primeira decisão de um tribunal do Rio de Janeiro havia dado razão a Xuxa e condenado o Google a pagar uma multa de R$ 20 mil, cerca de 7,7 mil euros, por cada “resultado positivo” nessas buscas.

O argumento de defesa do Google lembrava que não adianta tirar os resultados se o conteúdo em questão continuar na internet. “Mecanismos de busca são um reflexo do conteúdo e das informações que estão disponíveis na internet. Essas ferramentas não têm a capacidade de remover conteúdo diretamente de qualquer página da web, apenas os indexam para ajudar os internautas a localizar mais facilmente informações”, dizia um comunicado da empresa.

para lembrar

Aos 49 anos, Xuxa apresenta o programa TV Xuxa na Globo. Nascida em Santa Rosa (RS), Maria da Graça Meneghel foi para o Rio de Janeiro ainda muito jovem. Ela se tornou famosa ao trabalhar como modelo e principalmente quando namorou com o ex-jogador de futebol Pelé. Depois passou a apresentar programas infantis.

Sobre Chico Terra

A la Glauber Rocha, o genial visionário do Cinema Novo que tinha uma câmera na mão e uma idéia na cabeça, Chico Terra tinha há 14 anos um velho computador, uma câmera fotográfica e uma inquietação invulgar, que o ofício de músico não dava conta de sossegar. Chico, é preciso esclarecer, é observador de esquina, desses que repara imagens, muitas imagens, em fração de segundos. Tornou, por isso, o passatempo de fotógrafo – cultivado em Minas Gerais desde os anos 1970, quando ainda era operário da Fiat – em profissão. Pois não é que o Chico operário-fotógrafo-músico, decidiu virar, desculpem o palavrão, webdesigner. Desenhou e pôs no ar, em 11 de novembro de 2000, o Amapá Busca. Desde então, eremita na mesmíssima casa onde nasceu e à qual voltou após a longa temporada mineira, Chico divide atenção entre sobreviver sem o conforto de bens materiais e prestar inestimável serviço à cultura do Amapá. Pelo sítio de Chico, já passaram seguramente todos os músicos amapaenses – a quem dedica admirável amizade e intransigente defesa. Já passaram, também, por conta dessa fidelidade, manifestações indignadas contra gente que, vendo artista com vassalo, insiste em relegar a democratização da cultura ao segundo plano ou a reservar o primeiro plano a uns poucos protegidos. Amapaense da gema, Chico cria e encampa teses, reclama e elogia, exibe rico acervo fotográfico e dá voz, não raro sendo ele mesmo porta-voz, à divergência. Já deve ter sido confundido com ativista político submisso a alguma legenda, coisa que efetivamente nunca foi. Na verdade, Chico tem lado, não sabe ficar em cima do muro e opina muito, agradando a gregos e chateando a troianos. Num cantinho da casa que o seu Antonio Almeida construiu nos anos 1930, ao lado de uma janela que joga a luz da manhã no recinto, está o computador velho de guerra do múltiplo Chico. É ali que, quase sempre alta madrugada, em missão solitária, o operário-fotógrafo-músico-repórter senta para escrever, feliz, páginas de seu tempo. Vida longa, pois, Chico Terra! (Euclides Farias)

Discussão

3 comentários sobre “Google vence Xuxa na Justiça

  1. Condenar o Google por ter resultados que te insultam é a mesma coisa que processar uma fábrica de microfones por que alguém te xingou em um. Cada um deve ter responsabilidade e discernimento para saber o que fazer e o que não fazer, e se fizer besteira, assumir o erro.

    Publicado por beatriix | 07/02/2012, 16:58
  2. Quem pode atirar pedras?

    Publicado por Alda Barros | 07/01/2012, 19:28
  3. QUEM SOU EU PARA CONDENAR, MAS AS PESSOAS ERRAM E DEPOIS DE UMA CERTA IDADE, SE DAO CONTA DO ERRO,E COM CERTEZA A TENDENCIA DO SER HUMANO E APRENDER COM OS ERROS. ACHO QUE A XUXA ,POR SER UMA PESSOA FAMOSA, COM CERTEZA TERA MUITAS CRITICAS PELO PASSADO,MAS ACREDITO QUE ELA PASSA UMA BOA IMAGEM AS CRIANÇAS, E TAMBEM E CAMPEA EM AUDIENCIA INFANTIL. POR ALEXANDRE VELEDA ALEXANDRE 43

    Publicado por Alexandre Veleda | 07/01/2012, 1:47

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 12.278 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: