Capital e interior do Amapá reivindicam direitos no Grito do Excluídos 2012

Neste 7 de setembro o 18º Grito dos Excluídos levará às ruas das cidades em todo o país milhares de pessoas para gritar: “Queremos um Estado a serviço da Nação, que garanta direitos a toda população!”. Também em Macapá e mais oito municípios do Estado Amapá as pastorais sociais, movimentos, grupos e paróquias da Diocese de Macapá e os movimentos sociais unem-se aos excluídos para pedir garantia de direitos para todos.

“Nosso grito visa sensibilizar a sociedade e os gestores públicos para a efetivação dos direitos sociais”, diz padre Daniel Nascimento, coordenador da Cáritas.

A tradicional caminhada, na capital, sai do estacionamento do Araxá, às 8h30, passa por ruas e avenidas da zona Sul da cidade rumo ao Marco Zero. Durante o trajeto, serão feitas sete paradas para reflexão sobre os eixos temáticos, que envolvem, entre outras, as questões de saúde pública, drogas, juventude, violência. E é contra a violência que os jovens prometem soltar a voz.

“Estamos com um grito entalado na garganta: “Chega de violência e de extermínio de jovens”, afirma Kássio Vilhena, coordenador do Setor Juventude da Diocese de Macapá.

Um manifesto sobre eleições municipais e a importância do voto consciente será apresentado pelos movimentos de Combate à Corrupção Eleitoral e Mãos Limpas no monumento Marco Zero.

“Nosso papel é orientar o cidadão quanto a importância de suas escolhas e suas consequências. Estimulamos o eleitor a analisar profundamente o perfil dos candidatos e suas propostas e lutamos para que a corrupção não interfira na vontade soberana de cada um”, explica Ednaldo Batista, coordenador do Movimento Mãos Limpas.

A manifestação encerra com a palavra do bispo diocesano, Dom Pedro José Conti, momento de oração e o abraço no monumento.

No Interior

Celebrações e caminhadas fazem parte da programação do Grito dos Excluídos nos municípios de Laranjal do Jari, Vitória do Jari, Ferreira Gomes, Porto Grande, Calçoene, Amapá, Pracuuba e Oiapoque. Saúde, educação, meio, ambiente, eleições municipais e corrupção serão os eixos temáticos da manifestação, que é coordenada pelas paróquias.

Dia da Pátria – Dia do Grito

O 7 de setembro, Dia da Pátria, está se tornando também um dia de consciência política, de luta por uma nova ordem nacional e mundial. Em todo o Brasil realiza-se o Grito dos Excluídos.

O primeiro Grito foi realizado em setembro de 1995, com o objetivo de aprofundar o tema da Campanha da Fraternidade do mesmo ano, que tinha como lema “Eras tu, Senhor”, e aprofundar os desafios levantados na 2ª. Semana Social Brasileira, cujo tema era “Brasil, alternativas e protagonistas”. Em 1999, o Grito rompeu fronteiras e se estendeu para as Américas.

Graça Penafort

Pastoral da Comunicação

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: