Salve Guarapari

Em homenagem a Guarapari escrevo esta página, aproveitando a passagem do dia oficial da cidade: dezenove de setembro.

João Baptista Herkenhoff é professor da Faculdade Estácio de Sá do Espírito Santo e escritor. Autor, dentre outros livros, de: Ética para um mundo melhor. (Thex Editora, Rio de Janeiro).

Como se sabe, Guarapari é uma praia que previne e cura doenças, além de complementar todo e qualquer tratamento médico. Não existe lugar algum, melhor que Guarapari, para uma boa convalescença.

O poder curativo de Guarapari resulta principalmente das areias monazíticas. Aquele turista-paciente, que chegou entrevado, após poucos dias de tratamento desloca-se com as próprias pernas, sem precisar de auxílio. Foi, rigorosamente, curado.
Receita de saúde para as pessoas em geral? Fazer diariamente uma caminhada ao longo da praia; respirar o ar praiano, sorver os fluídos positivos, sentir o cheiro da maresia. Inspirar o ar, inspirando saúde; expirar o ar, expirando doença.
Que maravilha esses oceanos todos que se espalham pela Terra, ocupando cerca de setenta por cento da superfície do planeta
Durante permanência de alguns dias, em Guarapari, li o livro “Onde a mente encontra o corpo”, de Harris Dienstfrey. A obra procura demonstrar a influência que as forças mentais exercem sobre o organismo.
Criticam-se muito os livros de auto-ajuda. Inúmeros volumes desse rol são realmente tolos, sem substância. Aproveitam-se apenas de um veio que está sendo lucrativo. Mas não me parece que todos os livros do gênero mereçam condenação. Alguns há, escritos com boa vontade, seriedade e fundamentação. A expressão “auto-ajuda” assumiu um sentido pejorativo, devido à profusão de publicações de má qualidade nesse catálogo.
Mas se entendermos como livros de auto-ajuda os livros de conselho para que as pessoas vençam suas dificuldades, veremos que livros com esse propósito são antigos.
Se nos debruçarmos sobre as “Cartas a um Jovem Poeta”, de Rainer Maria Rilke, veremos que o livro contém poucos conselhos de poesia e muitos conselhos de vida endereçados por Rilke ao jovem que submeteu produções poéticas a sua apreciação. Questões filosóficas, religiosas, existenciais, sexo, amor, solidão, tudo isso está presente nas “Cartas a um Jovem Poeta”.
Que magnífica lição esta que extraímos de uma das cartas:
“Deixe a vida acontecer. A vida tem razão em todos os casos.”
Ou este outro conselho que rebusco na mesma fonte:
“Procure entrar em si mesmo.”
Contam-se curas extraordinárias em Guarapari. Algumas foram confirmadas por doutos e registradas em livros científicos. Outras ainda não tiveram o placet oficial. Mas acho que mesmo sobre essas curas envoltas em mistério será de bom conselho ouvir Shakespeare, em Hamlet:
“Há muito mais coisas entre o Céu e a Terra do que supõe nossa vã filosofia.”

Deixe uma resposta