Ministério Público instaura Inquérito Civil Público contra o prefeito de Macapá

O chefe do Executivo Municipal está sendo investigado pelo não repasse dos valores de empréstimos consignados de servidores

A Promotoria de Justiça do Patrimônio Cultural e Público de Macapá – Prodemap instaurou Inquérito Civil para apurar a existência de ato de improbidade administrativa praticado no âmbito da Prefeitura de Macapá, uma vez que os valores referentes a empréstimos consignados feitos pelos servidores municipais estariam sendo retidos e não repassados ao Banco Itaú Unibanco.

Nos últimos dias, o Ministério Público Estadual recebeu denúncia formulada pelo Banco comunicando que desde o mês de junho de 2012, apesar de fazer a retenção dos valores nos contracheques dos servidores, a Prefeitura de Macapá não vem lhe repassando o dinheiro retido, o que já acumulou o débito de R$ 4.747.029,12 (quatro milhões, setecentos e quarenta e sete mil, vinte nove reais e doze centavos).

Segundo informou o Banco, a Câmara Municipal também não está repassando os valores retidos dos seus servidores, desde fevereiro de 2012, totalizando o débito de R$ 505.491,38 (quinhentos e cinco mil, quatrocentos e noventa e um reais e trinta e oito centavos).

A investigação está ao encargo do promotor de Justiça Afonso Guimarães, que já vem promovendo as primeiras diligências com o fim de apurar os fatos e aferir a existência de improbidade ou não.

Asscom

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: