Geral

Simpósio da Amazônia debate transporte e energia sustentáveis

Brasília, 6/11/2012 – A Comissão da Amazônia, Integração Nacional e de Desenvolvimento Regional realizou, nesta terça, 06, o 6º Simpósio da Amazônia “Desenvolvimento Regional Sustentável” por requerimento da deputada Janete Capiberibe e do deputado Wilson Filho.

A deputada Janete coordenou a mesa que debateu “Desenvolvimento com Sustentabilidade: Energia e Transporte”. A socialista se disse otimista, ressalvando que as políticas públicas e percepções da Amazônia precisam sempre incluir as populações e culturas tradicionais locais. Ela acredita que ainda é possível alterar o modelo de desenvolvimento para um que esteja adequado à Amazônia e que se dê com a floresta em pé.

Energia Limpa – Os expositores do Ministério do Meio Ambiente mostraram-se satisfeitos com os resultados conseguidos na Amazônia, especialmente no que se refere à redução do desmatamento e às políticas públicas para implantação de infraestrutura, como a construção de hidrelétricas, hidrovias, rodovias e portos com menor impacto social e ambiental.

Já o diretor de políticas públicas do Greenpeace Sérgio Leitão afirmou que “pelo governo federal, parece que nós vivemos em um país banhado pelo óleo diesel. O Governo Federal esquece que vivemos num país tropical, com imenso em potencial de energia limpa”, referindo-se às gerações eólica e solar, ainda pouco presentes como fonte de energia no Brasil. “O país tem alternativas. O país não precisa de hidrelétricas”, arrematou. Segundo Leitão, não há qualquer base que justifique a construção de hidrelétricas na Amazônia, e considerou que o poder público brasileiro tem dificuldade de dialogar com as populações mais empobrecidas.

Mesmo assim, o Brasil figura entre os países com grande percentual de energia limpa: 44,1% de toda a energia usada no país e 88,8% da eletricidade, enquanto a média mundial é de 25% e 20%, respectivamente. Os dados reafirmados pelos palestrantes foram apresentados pela deputada Janete, para quem “é preciso ressalvar os impactos sociais e ambientais das hidrelétricas para classificá-las como geradoras de energia limpa”.

Pedindo licença à deputada Janete Capiberibe, Ricardo Padilha, do Ministério do Meio Ambiente, sugeriu que sejam instaladas placas geradoras de energia solar nas coberturas do Congresso Nacional e um sistema de captação e uso de água da chuva.

Hidrovias – O coordenador do Projeto de Transporte Hidroviário e Construção Naval na Amazônia (THECNA), Waltair Vieira Machado, afirmou que apenas 0,29% do volume de cargas na Amazônia é transportado por via fluvial e 60% por via marítima. Segundo ele, o transporte hidroviário custa 1/10 do que custa o rodoviário. Apontou, ainda, gargalos na construção naval, como a técnica precária para montagem de blocos e a tubulação. Disse ainda que 80% dos mais de 442 mil usuários do transporte hidroviário de passageiros na Amazônia, a maioria na faixa até 3 salários mínimos, reclamam do serviço, especialmente nos aspectos de segurança, higiene e conforto. A Bacia Amazônica tem mais de 23 mil quilômetros de rios navegáveis. Menos de um terço está sendo usado. A frota naval de cargas e passageiros na Amazônia tem idade média ponderada de 14 anos, chegando a média de 18 anos em algumas classes (ANTAQ, fevereiro de 2011).

Crédito – A deputada Janete cobrou do Governo Federal a criação da linha de crédito para os estaleiros tradicionais da Amazônia, com recursos do Fundo da Marinha Mercantes, subsídio de até 50%, 6 anos de carência e 20 para pagar. “Motores velhos e inadequados que provocam acidentes com escalpelamentos nas embarcações seriam dados como entrada e tirados de operação”, explicou a deputada. “Podemos, sim, fazer embarcações de madeira na Amazônia com qualidade e alto valor agregado", incentivou Waltair Machado.

Sizan Luiz Esberci

Legenda:

Debate:Práticas sustentáveis ainda precisam ser reforçadas na Amazônia

Foto: André Abrahão

X

Sobre Chico Terra

Este site é independente e sobrevive de pequenos anúncios e doações. Deposite qualquer quantia na conta Banco do Brasil AG2508-8 CC38020-2 e colabore para a manutenção deste espaço independente da cultura e informação da Amazônia.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Parceiro

Relaxando corpo e mente

Lançamento

Música da semana

Instagram do Chico Terra

Toca Amazônia agora na tv web
Via CHICOTERRA.COM Flagra de pura ternura. Faculdade Immes ganhou uma especialista que vai repassar conhecimento aos futuros assistentes sociais do Amapá. Parabéns professora! Viva Rebecca! No bar do Nego. Live!

Estatísticas

  • 934,837 visitas únicas desde 23/04/2012
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 12.330 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: