Fundação de Cultura de Macapá estreita relações com Conselho Estadual de Cultura

Reunidos na manhã da última quarta-feira, 09, a presidente da Fundação de Cultura de Macapá (Fumcult) e membros do Conselho Estadual de Cultura (Consec) discutiram assuntos sobre a real situação da Fundação, aniversário de Macapá, Macapá verão, carnaval 2013, dentre outros.

A presidente Márcia Corrêa fez um breve apanhado sobre a situação em que a Fumcult foi recebida. Os problemas herdados vão desde a falta de infraestrutura do prédio até a total desorganização da memória administrativa da ex-Coordenadoria. Desafios que a Prefeitura terá de enfrentar para começar a implementar projetos.

O encontro estreitou a relação entre a Fundação e o Conselho, que a partir de agora se compromete em auxiliar as atividades de planejamento e execução das ações de política cultural do município.

A diretora-presidente disse que entende o papel da Fundação como fomentadora de politicas culturais de alcance coletivo, e não como patrocinadora de projetos individuais. Nesse sentido, ela se comprometeu em acelerar a inclusão de Macapá no Sistema Nacional de Cultura e implantar a política de editais.

Márcia Corrêa expôs aos conselheiros que o prefeito Clécio Luís considera a cultura uma área estratégica para um governo democrático e popular. Por essa razão, autorizou a Fundação a priorizar a regulamentação do Estatuto do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural de Macapá, bem como a reabertura da Escola de Musica Amilar Brenha, localizada no bairro Brasil Novo, garantindo a condução participativa das ações.

“Precisamos trabalhar em parceria constante com os conselhos Estadual e Municipal, para que as políticas públicas em cultura sejam executas de forma sintonizada com o pensamento de quem legitimamente representa os segmentos artísticos e culturais”, disse Marcia Corrêa.


Carolina Pessoa

Ascom/Fumcult

Créditos da foto: Ascom Consec

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: