Semduh reúne-se com microempreendedores informais da área central de Macapá

Encontro marca demandas dos microempreendedores populares e os andamentos das políticas públicas para a categoria

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitacional (Semduh) realizou na última sexta-feira, 15, reunião com os microempreendores que comercializam seus produtos e serviços no centro de Macapá, mais especificamente na Av. Antonio Coelho de Carvalho, na área coberta que abriga 112 comerciantes informais. Em pauta, questões como manutenção da cobertura, iluminação do ambiente de trabalho, instalações de lixeiras dentre outras demandas.

Participaram da reunião representantes das secretarias municipais de Desenvolvimento Econômico (Semdec), de Desenvolvimento Urbano e Habitacional (Semduh), Sindicato dos Trabalhadores Autônomos do Comércio Varejista do Estado do Amapá (Sintacovap) e os trabalhadores informais que atuam naquela área.

O secretário da Semduh, Éden Paulo, disse que a reunião foi o primeiro contato com os comerciantes informais da área do camelódromo. “ouvimos as reivindicações deles e, a partir deste momento de interação e diálogo, definiremos as ações que competem à secretaria. O poder público deve auxiliar o microempreendedor popular e fomentar as políticas públicas”, afirmou Éden.

Uma das primeiras medidas da Semduh está sendo a atualização do cadastro dos microempreendedores populares. Além disso, está sendo feito um estudo quanto ao novo espaço que deverá ser ocupado por eles. Antes a destinação seria o Shopping Popular, que passou para a responsabilidade do Estado.

A colocação de fiscais de postura na Avenida Candido Mendes, uma das mais movimentadas da capital para fins comerciais, esteve entre as principais reivindicações da classe. Segundo os microempreendedores este acompanhamento é importante, pois a população tende a consumir dos pequenos comerciantes que se instalam ao longo da Avenida, em detrimento dos outros que estão reunidos na Central dos Camelódromos.

Para o comerciante Benedito Araújo, que atua como vendedor informal há mais de 10 anos, essa aproximação com o poder público é extremamente válida. “O trabalho informal requer essa boa relação com as autoridades competentes, principalmente no que diz respeito à organização de espaços e estímulo da economia”, disse o vendedor.

Atendendo ao pedido, a Semduh já disponibilizou três ficais de postura para realizar o acompanhamento da atividade comercial informal na Avenida Cândido Mendes. O trabalho iniciou nesta segunda-feira, 18, e será constante.

Ariane Lopes – Assessora Semduh

Contatos: 9113-5147 / 8121-1501

Deixe uma resposta