Mizael é condenado a 20 anos de prisão pela morte de Mércia Nakashima

Foto: Fernando Borges/Terra
Foto: Fernando Borges/Terra

O ex-policial Mizael Bispo foi condenado a 20 anos de prisão em regime fechado pela morte da ex-namorada Mércia Nakashima, assassinada em 2010, aos 28 anos. O corpo da advogada foi achado dentro do seu carro, com dois tiros em uma represa na Grande São Paulo.

Os jurados entenderam que o crime foi triplamente qualificado por motivo torpe, meio cruel e sem chances de defesa da vítima.

O réu já cumpriu um ano da pena estabelecida pelo juiz. Assim que cumprir dois quintos do prazo de reclusão, o acusado já poderá pedir a progressão da pena para regime semi-aberto. O prazo para dar a entrada nesse pedido é em 2020.

Julgamento – O julgamento de Mizael durou quatro dias. Foram ouvidas diversas testemunhas do caso, tanto da defesa, quanto da acusação. Advogado do acusado e promotor discutiram e trocaram farpas em diversos momentos.

Entre as testemunhas, foi ouvido o delegado Antonio Assunção de Olim, que liderou a investigação do desaparecimento de Mércia, que disse acreditar na culpa de Mizael. O engenheiro elétrico e mestre em telecomunicações, Eduardo Amato Tolezoni, que atestou o lugar que o réu estava no momento do crime. O biólogo Carlos Eduardo de Mattos Bicudo, com especialização em algas, falou sobre a planta encontrada no sapato do acusado.

Também foram ouvidos familiares de Mércia Nakashima, que falaram sobre o dia do desaparecimento e do período de namoro do casal, e amigos de Mizael, que falaram sobre a personalidade dele.

Caso – Mércia Nakashima foi vista pela última vez em 23 de maio de 2010, após sair da casa de seus pais em Guarulhos, na Grande São Paulo. Preocupados com a demora, o pai da advogada deram parte do desaparecimento na Polícia Civil.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa começou a investigar e ouviu várias pessoas, entre elas, Mizael. Ele foi até a sede do órgão, em São Paulo, não deu sua versão e chegou a esquecer um documento de identidade no edifício. A pressa chamou a atenção dos investigadores.

Mizael alegou que na hora em que a ex-namorada desapareceu, estava com uma prostituta em Guarulhos. A garota de programa nunca apareceu.

Mércia Nakashima foi encontrada morta dentro de seu carro em uma represa de Nazaré Paulista

Via Diário OnLine

Deixe uma resposta