Agricultores constroem fossa que não contamina o meio ambiente em AL

Ela é feita com material reaproveitado e leva dois dias para ficar pronta. A iniciativa é de produtores rurais agroecológicos.

Fossa ecológica no sertão de Alagoas (Foto: Reprodução/TV Gazeta)
Fossa ecológica no sertão de Alagoas
(Foto: Reprodução/TV Gazeta)

Agricultores agroecológicos de uma comunidade da zona rural de Pão de Açúcar, no Sertão de Alagoas, constroem fossas que não contaminam o meio ambiente. A iniciativa é de produtores rurais agroecológicos do Sítio Terra Firme, na zona rural do município.

Com a orientação de um consultor do Sebrae, a fossa biodigestora dispensa a utilização de laje e cimento em sua construção. Ela é feita com material reaproveitado, como pneus velhos, canos e cascalho, e leva dois dias para ficar pronta.

Segundo o consultor Walter Sandes, a fossa utiliza pneus que servem como uma tubulação por onde os dejetos passam. “Começamos fazendo uma bacia de cimento e a impermeabilizamos, depois, colocamos os materiais reaproveitados, como pedras e entulhos”, explica.

Ao invés de contaminar o solo, os dejetos concentrados na parte inferior da fossa se transformam naturalmente em adubo orgânico, limpando a terra e contribuindo para o desenvolvimento das plantas na parte superior do solo.

Sandes explica que  a água dos dejetos que vai para a fossa é absorvida pelas raízes das plantas. O calor do sol transforma a água em vapor e a libera para a atmosfera em um processo chamado de evapotranspiração.

Os produtores também foram orientados a construir um banheiro ecológico, onde as paredes não são de tijolos, mas sim, revestidas com sacos de areia empilhados e rebocados com cimento. “A propriedade não tinha banheiro, então decidimos fazer um. É uma construção muito barata”, explica o consultor.

Os produtores da comunidade são adeptos da agroecologia, método de produção agrícola que visa a preservação dos recursos naturais, buscando a segurança alimentar. A novidade agradou porque não prejudica o meio ambiente.

O presidente da associação de produtores da região, José Antônio, conta que a novidade casou com a filosofia empregada pela associação. “Gostei muito dessa possibilidade de não poluir o solo”, conta.

Esta foi a primeira fossa biodigestora e o primeiro banheiro ecológico construídos na comunidade. Uma idéia que deve ser difundida pelas outras propriedades. “Hoje se precisar fazer uma igual no meu terreno eu já sei fazer”, explica a produtora agroecológica Maria José Góes da Silva.

Continue lendo no G1

Deixe uma resposta