Cientistas descobrem sangue em mamute congelado

Investigadores admitem que está aberta a porta à clonagem destes animais desaparecidos

As amostras de ADN recolhidas durante a descoberta deram assim uma nova esperança aos investigadores da espécie extinta há cerca de 11 mil anos. Foto: Reprodução
As amostras de ADN recolhidas durante a descoberta deram assim uma nova esperança aos investigadores da espécie extinta há cerca de 11 mil anos. Foto: Reprodução

Os investigadores da Universidade Federal do Nordeste da Rússia descobriram sangue e pedaços de tecido muscular pertencentes a uma carcaça de mamute bem conservada, nas Ilhas Novosibirsk, na costa norte da Sibéria, Rússia.

«Este é o caso mais surpreendente da minha vida», afirmou o chefe da investigação, Sewmyon Grigoryev, que atesta que a carcaça encontrada pertencia a um mamute fêmea, que morreu com 60 anos de idade há cerca de 15 mil anos, refere em entrevista à agência AFP. O animal terá ficado preso num lago que acabou por congelar, facilitando a conservação dos seus restos mortais.

As amostras de ADN recolhidas durante a descoberta deram assim uma nova esperança aos investigadores da espécie extinta há cerca de 11 mil anos. Está aberta a porta à clonagem dos mamutes.

TVi 24

Deixe uma resposta