Pai de Snowden elogia filho por enfrentar o “crescente perigo da tirania”

Vladimir Putin descartou sua extradição aos EUA, porque é um "homem livre". Foto: Divulgação
À espera de receber asilo político, Snowden permanece no aeroporto moscovita de Sheremetyevo, aonde chegou no último dia 23 de junho procedente de Hong Kong. Foto: Divulgação

O pai de Edward Snowden, o ex-técnico da CIA que revelou arquivos secretos da Agência de Segurança Nacional (NSA) à imprensa, elogiou a atitude de seu filho por ter ajudado a abrir um debate sobre a espionagem do governo nos Estados Unidos e também o comparou com o patriota da guerra de Independência Paul Revere, informou nesta terça-feira a emissora “ABC”.

“Snowden é um moderno Paul Revere convocando o povo americano a enfrentar o crescente perigo da tirania do governo”, declarou o pai do jovem, Lonnie Snowden, em uma carta escrita em colaboração com seu advogado, Bruce Fein.

Segundo Lonnie Snowden, seu filho ajudou a supervisão do Congresso sobre a inteligência dos EUA “despertar de um sonho profundo”.

A nova carta emitida pelo pai de Snowden apresenta uma mudança de tom em relação à enviada na última semana ao secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, na qual afirmou, em caráter conciliador, que seu objetivo era “assegurar o retorno voluntário de Edward ao país para enfrentar um julgamento”.

Edward Snowden está sendo acusado de espionagem pelas autoridades americanas por ter revelado à imprensa o esquema de vigilância realizado pelo governo dos EUA aos registros telefônicos e aos dados de internet de milhões de cidadãos, uma medida que, segundo Washington, tinha intenção de vigiar o contato de suspeitos de terrorismo no exterior.

As últimas revelações de Snowden evidenciaram que os Estados Unidos também espionou a União Europeia (UE) – fundamentalmente a Alemanha -, a ONU e mais 38 embaixadas de países como Japão e México.

À espera de receber asilo político, Snowden permanece no aeroporto moscovita de Sheremetyevo, aonde chegou no último dia 23 de junho procedente de Hong Kong.

Snowden desistiu de ficar na Rússia menos de 48 horas depois de ter pedido asilo político ao país, e solicitou refúgio pelo menos a outras 15 nações, revelou hoje o Kremlin.

No entanto, de acordo com o portal Wikileaks, Snowden teria pedido asilo a um total de 21 países, incluindo vários latino-americanos.

EFE

Deixe uma resposta