Estádio Mané Garrincha gerará energia solar a partir de julho deste ano

Caberá à instituição contratada, ainda, a realização do projeto executivo e aquisição dos equipamentos. Foto: Rep. Revista Placar
Caberá à instituição contratada, ainda, a realização do projeto executivo e aquisição dos equipamentos. Foto: Rep. Revista Placar

A Secretaria de Comunicação do Governo do Distrito Federal informa que o Estádio Nacional de Brasília, modelo de sustentabilidade entre as arenas nacionais, passará a gerar energia solar no final do primeiro semestre deste ano. Em operação, a usina solar fotovoltaica, que será implantada na cobertura da edificação, terá capacidade para gerar 3 mil MWh/ano, suficientes para o abastecimento de 60 mil casas do DF durante 365 dias. “Com essa usina, todo o Distrito Federal tem a ganhar, porque é uma tecnologia nova que será incorporada ao nosso sistema. É uma energia limpa e renovável e, embora mais cara, compensará pelo fator ambiental”, explicou o gerente de Normatização da Companhia Elétrica de Brasília (CEB), Celso Nogueira.

Conforme publicação do Diário Oficial do Distrito Federal, do dia 8 último, até o final deste mês ou início de fevereiro, a CEB Geração lançará o edital de licitação, com ampla concorrência, que selecionará a empresa que implantará a usina pelo projeto “CEB Geração Solar 2014”. Ao todo, o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha dispõe de 20 mil m² de área útil, mas somente 15 mil m², que representam 75% da cobertura, deverão ser utilizados para abrigar os painéis fabricados com silício cristalino.

De acordo com Nogueira, a geração de energia solar atende às exigências da FIFA, que quer uma Copa sustentável, e também do GDF, que busca formas alternativas para o desenvolvimento da capital. Ele explicou que o sistema pertencerá à Terracap, dona do estádio, e a manutenção será feita pela CEB, a princípio, nos dois primeiros anos. A implantação da usina será feita em regime turn key, em que a empresa vencedora se responsabilizará integralmente pela entrega do circuito montado e conectado à rede. Caberá à instituição contratada, ainda, a realização do projeto executivo e aquisição dos equipamentos (módulos fotovoltaicos, inversores, transformadores e sistema de medição e controle).

A mesma empresa será responsável por proteger e impermeabilizar as superfícies que receberão os módulos, montar dos módulos nos strings, fazer a conexão à rede e o comissionamento. O prazo para a execução dos serviços, segundo o DODF, não poderá ultrapassar a data de 15 de julho. As exigências serão feitas pela CEB no edital que está em fase de elaboração. No entanto, a empresa adianta que os interessados em participar da licitação devem comprovar experiência em integração de empreendimentos que utilizam Sistemas Fotovoltaicos Conectados à Rede (SFCR).

As empresas que quiserem concorrer podem, inclusive, fazer um pré-cadastro no Portal de Compras da CEB e conseguir a chave de acesso à área restrita onde será possível obter mais informações sobre esse processo.

Portogente

Deixe uma resposta

WhatsApp chat