Presidente do sindicato dos professores recebeu R$ 24 mil em jetons do governo em 2013

Professores estaduais denunciam que o presidente da APLB – Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia, Rui Oliveira, recebeu do Governo do Estado, em 2013, R$ 24.747,00 em pagamento de jetons, que são verbas pagas para servidores por participação mensal em conselhos de administração e fiscais de órgão público. Este ano, ele já teria recebido R$ 6.916,00 por sua participação nos conselhos estaduais de Educação e de Desenvolvimento e Integração Regional.

Denúncias também dão conta que o diretor financeiro do sindicato, Jorge Carneiro de Souza, também vem recebendo pagamentos generosos do governo por sua participação no Conselho Estadual de Educação. Em 2013, ele recebeu R$ 7.444,00 e, até abril deste ano, R$ 2.114,00.

“No mínimo é suspeito este recebimento e acredito não ser compatível com o cargo de presidente é diretor financeiro da APLB. Lembro que os professores não queriam o acordo de promoção e avanço salarial proposto pelo governo e, ainda sim, o sindicato aceitou”, disse o deputado e líder do Democratas, Carlos Gaban.

A APLB aceitou a proposta do governo de conceder 14% de ganho em promoções, sendo 3,7% em julho deste ano, 5,15% em 2015, e 5,15% em 2016, estes dois últimos a serem pagos pelo futuro governador.

Insatisfeitos com a atuação do sindicato, os professores reclamam ainda da inexistência de assembleias com a categoria e do não encaminhamento das reivindicações da base. Denunciam também que, através de uma manobra, o sindicato acabou com a soberania da assembleia dos professores de Salvador, que tinha o poder de decretar greve. Agora, a greve depende da aprovação de outras 18 regionais.

“A gente não conhece essas regionais. Tem município que possui apenas 3 professores estaduais, o restante é municipal e eles manipulam isso”, disse um professor.

Fonte: ASCOM deputado Gaban (DEM)

Deixe uma resposta