Seed lança concurso de redação no encontro "Doce rio: Água Tratada Compromisso de Todos"

O encontro "Doce Rio: Água Tratada Compromisso de Todos reuniu várias escolas da rede pública estadual, na quarta-feira, 4, no Centro Cultural Franco Amapaense, para debater sobre a preservação da água. O projeto é promovido pelo Governo do Amapá, através da Secretaria de Estado da Educação (Seed).

Na ocasião, foi lançado o edital do concurso de redação de língua portuguesa com a temática "Água". O encontro se encerra nesta quinta-feira, 5, no Hotel Macapá, após solenidade de posse dos agentes protetores da água. Serão empossados 400 alunos.

Na abertura do evento o estudante Dário Colares, aluno do ensino médio na Escola Estadual Barroso Tostes, localizada no município de Santana, concluiu assim o seu discurso.

"As pessoas devem debater, trocar experiências, ideias e compartilhar conteúdo porque tudo é conhecimento e quando se trata de preservar um recurso natural todos estamos envolvidos. Nós enquanto jovens, sabemos que, somos o futuro da nação e temos consciência de que devemos nos preocupar em cuidar da nossa natureza e principalmente da água elemento essencial para a vida".

Durante a programação da quarta-feira, houve apresentação de workshop interdisciplinar de educação ambiental, exposição fotográfica, apresentações culturais, dentre outros painéis que apresentaram o retrato do Rio Amazonas e suas marés. A Seed, durante todo o ano letivo, implementará ações que possibilitem mobilizar as escolas públicas estaduais quanto ao uso consciente e racional da água tratada.

A ideia é compartilhar conhecimentos, experiências significativas sobre a temática "Água", visando melhorar o senso de responsabilidade de todos sobre o uso consciente e racional desse bem comum e fundamental para a qualidade de vida no âmbito local e global das presentes e futuras gerações. As ações educativas se preocupam em impedir que cenários trágicos como o do reservatório de água de São Paulo se repitam em outras regiões e no próprio planeta.

O projeto já vem desenvolvendo, há dois anos, questões de sustentabilidade e preservação do meio ambiente, em todas as disciplinas da escola, desde o ensino fundamental até o ensino médio integrador.

Representando o governador Camilo Capiberibe, esteve presente o diretor operacional da Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa), Carlos Melo, que reconheceu as dificuldades da rede de abastecimento devido aos bloqueios de recursos que foram trabalhados para que, enfim, houvesse a liberação de verbas federais.

"Hoje, temos a satisfação de dizer que a Caesa tem R$ 300 milhões de recursos para investir no sistema de abastecimento de água tratada de todo o Estado. Conseguimos avançar e o resultado será a distribuição até as residências, como já estamos fazendo", pontuou o diretor da Caesa.

"O que temos hoje pode não existir para as futuras gerações e, quanto mais cedo as pessoas despertarem para a preservação, melhor será para que possamos mudar as consequências por meio de boas ações. Só assim poderemos ter melhor qualidade de vida. E os nossos alunos são os meios de propagação dessas boas práticas", elucidou a secretária de Estado da Educação, Elda Araújo.

Segundo a coordenadora de Políticas Educacionais, Deusamirtes Moura, o projeto alcançou sua meta nas escolas e os alunos realmente estão comprometidos e envolvidos com a proposta. "Esse resultado é muito gratificante. Hoje, às vésperas do Dia Mundial do Meio Ambiente, podemos celebrar esse momento com resultados positivos. Ainda tem muito a ser feito, mas o primeiro passo já foi dado", frisou a coordenadora.

A Escola Estadual Rodoval Borges é um dos bons exemplos de sustentabilidade, onde já funciona o projeto de preservação do meio ambiente. "O ‘Doce rio’ veio somar e completar as atividades que nós vínhamos trabalhando. Temos uma aceitação de 100% dos alunos em sala de aula", informou o diretor Romildo Olanda. De acordo com o gestor, isso demonstra que os alunos estão realmente comprometidos com as ações desenvolvidas no ambiente escolar.

O estudante Ryan Henryque, aluno do 5º ano da Escola Princesa Izabel e agente protetor da água, fez questão de externar o que aprendeu. "Ao tomar banho não deixo o chuveiro aberto. Nós não podemos desperdiçar água e o que for gasto as pessoas devem reutilizar. Quando forem lavar a louça fechem a torneira", aconselha.

Realização

O evento é realizado pela Seed, por meio de sua Coordenadoria de Desenvolvimento e Normatização das Políticas Educacionais (Codnope), sob a responsabilidade da Unidade de Educação Ambiental com apoio do Comitê da Água.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: