A patela e a terceira vértebra

Orivaldo Fonseca
Orivaldo Fonseca

Agora, os face-linchadores querem atar o jogador Zúñiga ao poste da rede social. Eles acreditam que o colombiano é uma versão futebolística de O Médico e O Monstro, uma espécie de neurologista malvado dos gramados. Na mente dos justiceiros da rede, o lance aconteceu assim: Neymar pega a bola, e o Monstro pensa: “Agora tua terceira vértebra lombar vai se ver comigo, moleque. Minha monstruosa patela vai te tirar do lance; não, do jogo; melhor, da Copa”. Acreditar nisso é acreditar que as FARC estão por trás daquela joelhada. E querer comparar este episódio com o que protagonizou o mordedor Suárez é muito simplório. O uruguaio intencional e deliberadamente abocanhou o ombro do italiano e com antecedentes de outras dentadas, diferentemente de Zúñiga, que não possui histórico violento.

O colombiano cometeu uma falta grave, por trás e merecedora de cartão, mas com consequências que só foram conhecidas com as imagens médicas, não com as das câmeras de tevê, que mostraram uma entrada como tantas outras no futebol.

Contudo, há perdas muito grandes com a saída de Neymar da Copa. Perdemos nós, com a ausência do nosso jogador mais genial na atualidade; perde a Copa, com a retirada de um de seus principais protagonistas; perdem os patrocinadores de Neymar, pois veem sair de um evento planetário um de seus melhores outdoors.

Mas os cyber-linchadores se negam a ver a relação entre causa e efeito, entre intenção e gesto. A eles lhes basta que a “justiça” seja feita e… BUM! Escancara-se a porta para todo tipo de ódio, partindo da xenofobia latina até chegar ao mais nauseabundo racismo.

Mas argumentos convencem linchadores? Jamais! Argumentos só fazem seus olhos se inflamarem mais ainda. E quer saber? Com o perdão pela infâmia do trocadilho: que se linchem!

Deixe uma resposta