Novo diretor-presidente da Fumcult assume com a missão de fomentar dois importantes espaços culturais

CEU das Artes e Biblioteca Pública Municipal são realidades prestes a serem entregues à população. Jansen Rafael será o primeiro gestor cultural à frente da engrenagem desses dois importantes aparelhos para o setor.

A Fundação Municipal de Cultura (Fumcult) está sob nova diretoria. O artista plástico Jansen Rafael da Silva assumiu interinamente o lugar do ativista cultural Cláudio Silva, que pediu exoneração para se dedicar a projetos pessoais. Jansen Rafael atendeu ao convite do prefeito Clécio Luís, com a missão de dar continuidade às atividades da instituição e de vislumbrar meios que garantam novas fontes de captação de recursos, resultando em projetos e políticas públicas dinâmicas e coletivas ao setor.

O desafio não é maior que a vontade de fazer. E o atual diretor-presidente da Fumcult assume a casa já com a missão de colocar para funcionar dois importantes aparelhos culturais que serão inaugurados até outubro deste ano: o CEU das Artes e a primeira Biblioteca Pública do Município, ambos localizados na zona norte da cidade, conquistas da Prefeitura de Macapá, frutos de parceria com o Governo Federal e a Justiça Federal.

O artesão-gestor

Aos 38 anos de idade, dos quais mais de 20 são dedicados às artes visuais, artesanato e ao movimento cultural, Jansen Rafael é graduado em Gestão de Empresas e pós-graduando em Gestão de Políticas Públicas. Há quatro anos dedica-se ao Conselho Estadual de Cultura (Consec), onde ocupa a cadeira das artes visuais. Também foi presidente da Associação Macapaense de Artesãos e Artistas (Amaarte) por quatro anos e meio, e é um apaixonado pesquisador das civilizações Maracá e Cunani.

Como artista, a larga experiência, aliada ao talento nato, levaram Jansen Rafael a participar de importantes bienais e salões de arte, a exemplo da Bienal Internacional de Artes (2011), na cidade de Maturrid (Caiena), e a expandir sua arte pelo mundo. Sua expressão maior: obras esculpidas em madeira – tem exemplares espalhados em países como Alemanha, Itália, Bélgica e França.

Diante dessa gama de conhecimento e sabedor da realidade da cultura macapaense, e ainda, numa instituição cujo orçamento é mais do que reduzido para seus fins, apenas R$ 2 milhões ao ano, ele assume a Fumcult com o propósito de agilizar os processos e estreitar relações com a bancada federal, a fim de captar recursos através de emendas parlamentares. “É preciso se planejar para 2015, trabalhar cultura como fonte de renda para os seus produtores e artistas. O desafio é enorme, mas trago a experiência de gestão, com a vivência sociotivista. A meta agora é organizar a casa e gerenciar os aparelhos culturais do município, trabalho que a gestão do prefeito Clécio já vinha fazendo muito bem, e elaborar propostas concretas para 2015”.

“Vamos olhar pra frente e trabalhar para garantir a ativação do Conselho Municipal de Cultura e do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural, órgãos que disciplinam e orientam as iniciativas do setor. Diante de tantas limitações orçamentárias, ver tornar-se realidade o CEU das Artes e a Biblioteca, nos dá mais ânimo e a certeza de que a cultura não está mais abandonada, com parcerias e muito trabalho, quem sabe, mais adiante, concretizaremos também o sonho de ter o Teatro Municipal, galerias de arte, mais espaços e aparelhos culturais que só fortalecem a cultura”, diz Jansen.

Rita Torrinha/Asscom PMM

Fotos: Rita Torrinha

Deixe uma resposta