Após denúncia de pacientes, Promotoria da Saúde inspeciona Pronto Atendimento Infantil de Macapá

pacientes internados nos corredores do pai
pacientes internados nos corredores do pai

O Ministério Público do Estado do Amapá (MP-AP), por meio da Promotoria de Justiça da Saúde, realizou, na manhã desta segunda-feira (8), visita surpresa no Pronto Atendimento Infantil de Macapá (PAI).

O promotor de Justiça, titular da Promotoria de Saúde, André Araújo, realizou a inspeção, após denúncias de pacientes. Segundo os pais das crianças e servidores do PAI, faltam remédios, equipamentos e estrutura mínima para atendimento.

“Estou aqui para cuidar da minha neta e eu estou ficando doente. Tem criança voltando pra casa doente, porque aqui não tem medicação”, disse a avó de uma criança internada.

O Pronto Atendimento Infantil funciona de forma improvisada em salas e corredores que, ao mesmo tempo, passam por reformas. Os profissionais do hospital fizeram uma lista do que está faltando, como materiais básicos: máscaras para nebulização, monitores e respiradores. Entre os remédios, faltam azitromicina, solução de glicerina, dimeticona e outros.

“Realmente o hospital não tem a menor condição de prestar atendimento adequado, do jeito que está hoje. Não há leitos e, por isso, existe um sério risco de crianças virem a óbito. Imagino que médicos estão tendo que escolher quem irá sobreviver. Por conta disso, vamos recomendar a direção do PAI e a Secretaria Estadual de Saúde (SESA) para que tomem as medidas urgentes para melhorar o atendimento, garantindo os medicamentos e equipamentos que estão faltando”, disse o promotor de Justiça da Saúde, André Araújo.

O Ministério Público do Amapá orienta à população para que procurem a Promotoria de Justiça da Saúde, localizada no Complexo da Zona Norte de Macapá, para fazer as denúncias.

Deixe uma resposta

WhatsApp chat