Ponte Binacional, no Amapá, não tem data para ser inaugurada

Ponte Binacional, que deve ligar o Oiapoque, no Amapá, a Saint-Georges, na Guiana Francesa, ainda não tem data para inauguração. O contrato de construção foi concluído em setembro de 2012, segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). R$ 70 milhões foram investidos na obra.

ponte 4
Chico Terra: obras aduana brasileira

Além disso, cerca de R$ 15,5 milhões foram gastos para a construção da aduana, repartição que controla o movimento de fronteira, e que ficou pronta em abril de 2015. De acordo com o DNIT, as despesas foram divididas entre os governos brasileiro e francês.

O senador João Capiberibe, do PSB do Amapá, explica que o projeto foi proposto em 1997. Inicialmente, segundo o senador, os guianenses temiam uma invasão de brasileiros no território francês. Em agosto deste ano, a Câmara e o Senado aprovaram três acordos de cooperação assinados entre os dois países para viabilizar o fluxo de veículos e de pessoas. Segundo o senador, os acordos eram a única restrição pendente para a abertura da ponte.

Em nota, o DNIT disse que a construção do acesso à ponte e a pavimentação do pátio da aduana ainda estão pendentes. Entre fevereiro de 2012 e julho de 2014, essa obra esteve a cargo do Governo do Estado do Amapá, que não concluiu o objeto. O departamento informou que a licitação para pavimentação do pátio está prevista ainda para 2015. O DNIT declarou, também, que as obras pendentes não impedem que os órgãos fiscalizadores realizem as atividades necessárias nas instalações já construídas e liberem o comércio e o trânsito entre os países.

O governo do Amapá disse, também em nota, que as obras a cargo do estado não foram cumpridas pela falta de compromisso da gestão anterior. O governo atual informou que tem negociado com a Presidência da República para dar celeridade ao processo de abertura da ponte. A liberação, de acordo com a nota, foi proposta para julho de 2016.

A Assessoria do Departamento de Relações com a Imprensa Nacional da Presidência da República não se manifestou até o fechamento da reportagem.

EBC

Deixe uma resposta