Um terço dos rios do planeta está poluído, aponta novo estudo da ONU

Piores casos estão na África, Ásia e América Latina. Isso porque mais de 80% da água residual em todo o mundo é jogada no meio ambiente sem tratamento. Só em 2012, 800 mil mortes foram ocasionadas por água contaminada. Relatório foi divulgado nesta quarta-feira.

Por Talis Maurício

Comunidade em Santos despeja todo o esgoto dentro do mar
Crédito: Leopoldo Rosa/CBN

O relatório mundial da ONU sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos revela dados alarmantes sobre as águas residuais, tema do Dia Mundial da Água comemorado nesta quarta-feira. Mais de 80% vão parar nos rios e oceanos do planeta sem tratamento.

Água residual é aquela que sofre interferência por uso comercial, industrial ou doméstico, como o esgoto, por exemplo.

As piores condições estão nos países de baixa renda, que tratam somente entre 28% e 8% desse tipo de resíduo. Como consequência, um terço dos cursos d’água no mundo, principalmente na África, Ásia e América Latina, estão completamente poluídos.

O porta-voz de Meio Ambiente da Unesco no Brasil, Massimiliano Lombardo, explica que a contaminação prejudica a economia e coloca em risco a saúde da população, sendo as crianças as mais prejudicadas.

‘Esgotos não tratados são esgotos que têm várias substâncias contaminantes. Tem muita bactéria que causa problemas de saúde como cólera, febre tifóide, que matam crianças principalmente. E as águas residuais se forem tratadas podem se tornar um recurso útil para vários outros usos, na irrigação, lavagem de ruas, carros, inclusive até para consumo humano, água potável.’

Só em 2012, mais de 800 mil pessoas morreram em decorrência da falta de saneamento básico. Nos oceanos, a descarga de águas residuais já atinge uma área de quase 250 mil quilômetros quadrados, destruindo ecossistemas marinhos e gerando impactos na atividade pesqueira.

Ainda segundo o relatório, faltam informações objetivas para se buscar uma solução ao problema. De 181 países pesquisados, apenas 55 tinham dados a respeito do tratamento e utilização de águas residuais.

Um drama vivido por muitos ambientalistas, como conta o presidente do Instituto Trata Brasil, Edison Carlos.

‘É muito preocupante porque nem se sabe que tipo de substâncias vem sendo lançadas na maioria desses países que não informam a característica dessa poluição. No Brasil, 60% do esgoto não é tratado. Então, somente a poluição por esgotos já representa um grande drama nacional. Somente com informações corretas nós conseguiremos criar políticas mais rápidas para uma solução.’

Na América Latina e Caribe, o relatório destaca o Chile como o país mais avançado no tratamento de águas residuais. Brasil, México e Uruguai aparecem como países que promoveram avanços substanciais nos últimos anos.

Para a ONU, a melhoria na gestão das águas residuais é fundamental para atingir parte das metas da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, assinada em 2015 por mais de 190 países.

Portal CBN

 

 

Deixe uma resposta