Parlamentares do Amazonas negam qualquer envolvimento ilícito com a Odebrecht

Os senadores Eduardo Braga, Vanessa Grazziotin e Omar Aziz, além do deputado federal Alfredo Nascimento e o presidente estadual do PCdoB, Eron Bezerra, serão investigados na Operação Lava Jato

Antônio Paulo
Brasília (DF)
Os quatro parlamentares do Amazonas com mandatos e o ex-deputado estadual Eron Bezerra negaram com veemência qualquer envolvimento com ilícitos, recebimentos de propina e que todas as contribuições eleitorais foram devidamente declaradas e aprovadas na Justiça Eleitoral. Em nota, o senador Eduardo Braga desconhece o conteúdo das informações que levaram a Procuradoria-Geral da República (PGR) a pedir abertura de inquérito.

“Vale destacar que a abertura de inquérito não significa que os investigados respondam por qualquer tipo crime”. A assessoria diz ainda que Braga, em caso de notificação, prestará todas as informações necessárias à Justiça.

O senador Omar Aziz declarou: “Ninguém tem mais interesse do que eu na conclusão deste inquérito. Não tenho e nunca tive nenhum tipo de relação com a Odebrecht. Essa empresa não teve sequer contratos ou pagamentos recebidos no meu governo. Também não recebi nenhum centavo deles em campanha eleitoral. O jornal ‘O Globo’ inclusive publicou que, no documento divulgado pelo ministro Fachin, não há qualquer referência de valor em meu nome”. Braga e Omar foram delatados pelo ex-executivos da Odebrecht, Arnaldo Cumplido de Souza Couto, e deverão ser investigados por corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e advocacia administrativa.

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) esclarece que as doações feitas para suas campanhas foram oficiais, declaradas e posteriormente aprovadas pela Justiça Eleitoral. Já o marido dela, Eron Bezerra, diz que a inclusão do nome dele na lista de Fachin não passe de ilação, pois, sequer foi candidato em 2012 e que exercia o cargo de Secretário Estadual de Produção Rural (Sepror).

Como dirigente partidário, reconhece que participou de reuniões para captação de recursos de empresas, visto que ainda não era proibido. “Todos os recursos de campanha destinados ao PCdoB para a candidata Vanessa Grazziotin à Prefeitura de Manaus foram declarados e aprovados pela Justiça Eleitoral”, declarou Eron Bezerra. Os dois foram delatados pelo ex-presidente e fundador da Odebrecht Ambiental, Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis. Deverão ser investigados por falsidade ideológica eleitoral.

A nota do deputado Alfredo Nascimento afirma: “É com surpresa que vejo no noticiário meu nome entre os investigados na operação Lava Jato. Não tenho e não tive qualquer relação com executivos, empresas, e estatais envolvidos. Não fui notificado e soube da inclusão do meu nome pela imprensa. Estou absolutamente tranquilo porque nada fiz de errado e isso será provado”.

Acusações

Segundo o “Estadão”, Alfredo Nascimento e outros deputados do PR foram delatados pelos ex-executivos da Odebrecht Benedicto Barbosa da Silva Júnior, José Carvalho Filho, João Antônio Pacífico Ferreira e Paulo Falcão. Serão investigados por corrupção passiva, ativa e lavagem de dinheiro.

Jornal A Crítica

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: