Festival Amazonas de Ópera celebra 20 anos em concerto com o tenor Thiago Arancam

O tenor trabalha na gravação de seu novo projeto em Milão, na Itália. Ele retorna ao Brasil para a abertura oficial da edição comemorativa do Teatro Amazonas

Canções populares e trechos de óperas célebres encenadas ao longo da trajetória do Festival Amazonas de Ópera (FAO) estão no programa do concerto de abertura da 20ª edição do grande evento lírico amazonense, a ser realizado neste domingo (7), às 19h, no Teatro Amazonas. O Concerto Bradesco I terá ainda a participação do tenor brasileiro Thiago Arancam, num grandioso espetáculo que marca o início das comemorações pelos 20 anos do Festival e se soma às celebrações pelos 120 anos do Teatro, completados em 2016.

Trechos de óperas como “Turandot”, “Carmen”, “Il Guarany” e “Cavalleria rusticana” aparecem ao lado de “El día que me quieras” (Carlos Gardel), “Granada” (Agustín Lara) e “My way” (Jacques Revaux e Paul Anka) e outras canções do repertório popular no concerto, apresentado pela Amazonas Filarmônica e pelo Coral do Amazonas. Além de Arancam, o espetáculo tem participação especial da soprano amazonense Dhijana Nobre. Luiz Fernando Malheiro, diretor artístico do FAO, assina direção artística e regência do evento.

Com um repertório de peso e a participação de Arancam, cantor lírico com passagens pelas principais casas de ópera do mundo, o Concerto Bradesco I inicia em grande estilo as comemorações pelos 20 anos do FAO, realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e do Fundo de Promoção Social, com o apoio da Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC). O evento tem patrocínio máster de Bradesco Prime, e patrocínio da Companhia de Gás do Amazonas (Cigás) e da Ambev.

“Num país em que poucos eventos ou atividades artísticas passam do segundo ou terceiro anos, estamos comemorando os 20 anos do Festival Amazonas de Ópera. Isso tem algumas razões especiais, e uma delas é que não nos contentamos apenas em fazer a ‘importação’ das produções. Passamos a produzir, com todas as dificuldades, aprendendo, descobrindo, trazendo profissionais experimentados e formando pessoas aqui”, assinala Robério Braga, secretário estadual de Cultura e diretor geral do FAO.

Por sua vez, Malheiro destaca o prestígio do evento amazonense no circuito lírico do Brasil e do exterior. “O FAO hoje é um dos festivais mais respeitados no universo operístico nacional e internacional. Atingimos um nível de reconhecimento e maturidade tal, que toda pessoa ligada à ópera hoje reconhece o festival como um evento lírico sério e de alto nível”, aponta o diretor artístico.

Projeção internacional

Como parte das comemorações pelos 20 anos de trajetória do Festival, o concerto inaugural do XX FAO contará com a participação de Thiago Arancam. Hoje em estúdio em Milão, na Itália, onde trabalha na gravação de seu novo projeto, ele retorna ao Brasil para a abertura oficial da edição comemorativa no Teatro Amazonas. O tenor brasileiro, que já se apresentou em mais de 40 países, mostra reconhecimento pelo convite do festival amazonense, que situa entre os principais do mundo.

“O Festival Amazonas de Ópera é um dos maiores e mais representativos eventos operísticos do Brasil, e estou de fato muito honrado em participar da abertura desta edição comemorativa aos 20 anos deste grande Festival, neste palco tão maravilhoso que é o Teatro Amazonas. Será uma noite inesquecível”, convida o músico.

Recentemente, Arancam gravou a canção “Céu de Santo Amaro”, com a participação da cantora Paula Fernandes e da Orquestra Philarmonica de Praga, no estúdio NoveNove, em Milão. Além disso, os artistas também gravaram um videoclipe na Itália, em frente ao Mar Mediterrâneo. A faixa é um dos destaques do novo projeto do cantor lírico, assinado por Maycon Ananias e com produção executiva da Novo Palco.

Repertório popular

À frente da Amazonas Filarmônica e do Coral do Amazonas, Thiago Arancam e a amazonense Dhijana Nobre apresentam um programa com 14 obras, incluindo trechos de óperas já encenados no FAO. A lista inclui desde “Les voici, voici la quadrille”, de “Carmen”, de Georges Bizet, encenada na primeira edição do evento, em 1997, até o Bacanal de “Sansão e Dalila”, de Camille Saint-Saëns, atração do festival em 2009. “Tosca”, “Nabucco” e “Pagliacci” são outras peças na seleção do concerto.

No segmento popular, o concerto terá quatro músicas do cancioneiro espanhol: “Intermezzo” da zarzuela “La boda de Luis Alonso”, de Gerónimo Giménez; “No puede ser”, da zarzuela “La tabernera del puerto”, de Pablo Sorozábal; “Granada”, de Agustín Lara; e “El día que me quieras”, de Carlos Gardel. A música norte-americana completa o programa com o standard “My way”, de Jacques Revaux e Paul Anka, eternizada na voz de Frank Sinatra, e “All I ask of you”, do musical “O Fantasma da Ópera”, de Andrew Lloyd Weber.

“São canções populares que reunimos ao lado de árias bastante conhecidas do grande público, como ‘Nessun dorma’, de ‘Turandot’. Da parte lírica, são todas óperas que já fizemos no Festival e que marcaram a trajetória do evento”, resume Luiz Fernando Malheiro. “Quisemos que fosse um repertório que agradasse a todos os espectadores e que fosse bastante acessível”.

O Concerto Bradesco I – Concerto Comemorativo dos 20 anos do FAO terá preços populares, com ingressos de R$ 5 (meia-entrada para camarotes do 3º pav., Setor Roxo) a R$ 50 (inteira para plateia, frisas e 1º pav, Setor Laranja). Os bilhetes estão à venda na bilheteria do Teatro Amazonas e pelo site BestSeat (www.bestseat.com.br). Mais informações pelo telefone (92) 3232-1768.

Jornal A Crítica

Deixe uma resposta