Em um a cada cinco lares do país ninguém tem renda do trabalho, mostra pesquisa

Um em cada cinco domicílios brasileiros não tem renda fruto do trabalho, formal ou informal, de acordo com reportagem publicada no Valor Econômico. Até o segundo trimestre deste ano, o Brasil tinha 15,2 milhões de residências onde ninguém trabalhava. O número representa um crescimento de 22% em relação ao registrado em 2014. Naquele ano, havia 2,8 milhões de lares nessa situação.

O levantamento foi feito a pedido do Valor pelos pesquisadores Samuel Franco e Suiani Febroni, do Instituto de Estudos de Trabalho e Sociedade (Iets) e da Oportunidades, Pesquisa e Estudos Sociais (OPE Sociais), a partir dos microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (Pnad Contínua), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“A crise colocou muitos chefes de família para fora do mercado de trabalho. Em muitos lares, cônjuges e filhos também foram demitidos. Membros da família tiveram que buscar emprego para recompor a renda, mas poucos conseguiram. Esse é o motivo mais provável para o resultado da pesquisa. São lares que estão agora sem renda do trabalho e que passam por um momento difícil”, disse Samuel Franco ao Valor.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 2,6 milhões de brasileiros perderam seus empregos entre o fim de 2014 e o segundo trimestre de 2017. A taxa de desemprego passou de 6,5% para 13% da força de trabalho nesse período. O número de desempregados nesse intervalo saltou de 6,4 milhões para 13,5 milhões.

Veja a íntegra da reportagem no  Valor Econômico

Deixe uma resposta