Chamada pública vai fortalecer a sociobiodiversidade na Amazônia legal

Representantes da sociedade civil, cooperativas e empresas privadas participaram ontem, segunda-feira (02.10), na Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), de uma oficina sobre a Chamada Pública nº 01/2017, que selecionará projetos voltados para o fortalecimento da sociobiodiversidade na Amazônia legal.

A chamada é uma parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Ministério do Meio Ambiente, com o apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável por meio da GIZ. Serão disponibilizados investimentos de R$ 10 milhões a R$ 30 milhões para projetos em Mato Grosso. A oficina segue até terça-feira, às 12h, no auditório Pantanal da Sema, em Cuiabá.

Para o secretário executivo da Sema, André Baby, esta é uma oportunidade interessante em que as entidades poderão driblar a crise que acomete o país e realizar os trabalhos em prol do meio ambiente. “Os recursos estão escassos, mas isso não impede as instituições de trabalharem com parcerias, e esse é o momento oportuno para ampliar os belíssimos projetos que já vem ocorrendo no Estado”.

A técnica do BNDES, Cláudia Nessi, explicou durante a oficina que a proposta é apoiar e fortalecer empreendimentos comunitários que mantenham a floresta em pé, promova a sustentabilidade financeira e a conservação da biodiversidade na Amazônia Legal. “Entendemos que a nossa missão não se resume apenas nas atividades de comando e controle. É importante levar em consideração as pessoas que moram na região e precisam sobreviver, então o ideal é levar até elas alternativas de atividades sustentáveis”.

Interessados na chamada, os representantes da Operação Amazônia Nativa (Opan), Artema Lima, e da Earth Innovation, João Shimada, participaram do evento e avaliaram positivamente a oportunidade de dar continuidade nos trabalhos voltados para cadeia de valor que as entidades já realizam. “Temos uma expectativa de contribuir para o desenvolvimento sustentável de Mato Grosso”.

Veja matéria completa no site Folhamax

Deixe uma resposta