ONG diz que animais da Amazônia sofrem com selfies de turistas

Boto-cor-de-rosa é principal animal oferecido por agências para interação com os visitantes.

Os animais da Amazônia sofrem com a atividade turística na região, que em muitos casos submete espécies como o boto-cor-de-rosa e o bicho-preguiça a longas sessões de fotos, alertam ativistas da ONG World Animal Protection.

A organização, com sede na Inglaterra, publicou esta semana um relatório em que afirma que desde 2014 as fotos de pessoas com animais no Instagram aumentaram 292% no mundo todo. E em 40% delas, os humanos aparecem “abraçando ou interagindo de forma inadequada com um animal selvagem”.

Com frequência, os animais são capturados e maltratados antes de serem exibidos aos turistas, aponta a World Animal Protection, que se infiltrou em excursões na selva amazônica do Brasil e do Peru para registrar estas interações.

“Com muita frequência os turistas desconhecem completamente esta crueldade que torna os animais submissos e disponíveis”, acrescenta.

Em Manaus, capital do estado do Amazonas, 94% dos 18 passeios turísticos visitados pela World Animal Protection ofereciam a oportunidade de “segurar e tocar animais selvagens” para tirar fotografias.

Veja íntegra no G1

Deixe uma resposta