Professora indígena de Rondonia ganha prêmio de educadora do ano

Elisângela Suruí foi a grande vencedora do prêmio Educadora Nota 10 por projeto de alfabetização em Paiter

As crianças da comunidade indígena Paiter, na cidade de Cacoal, a 400 quilômetros de Porto Velho (RO) estavam com dificuldades de aprender a ler e escrever. O povo, que teve o primeiro contato com o homem branco em 1968, mantém preservada boa parte de suas tradições, inclusive a língua, que ainda é a mais falada por lá.

O problema é que não existe muito material didático na linguagem dos Paiter, e os escritos em português eram muito difícil de ser assimilado pelas crianças. A professora Elisângela Dell-Armelina Suruí não viu outra alternativa e decidiu preparar o próprio material didático. Nasceu assim o projeto “MamugKoeIxoTig”.

Mas a professora foi além. Trabalhando com uma classe multisseriada de 1ª a 5ª, resolveu incluir as crianças na elaboração do material. Passou a realizar atividades membros da comunidade para falar da realidade na aldeia. Os alunos levavam para a classe o que aprenderam e, com base nisso, construíam uma atividade de alfabetização sobre o tema. Por se tratar de séries e idades diferentes, cada um contribui com um pouco de conhecimento, resultando em um material rico.

Via Galileu

Deixe uma resposta