DIA DO DIABETES | População recebe atendimentos no Parque Anauá

Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 7% da população brasileira tem diabetes, mas desconhece

SECOM-RR
Fotos: Eides Antonelli

O Governo de Roraima, por meio da Sesau (Secretaria Estadual de Saúde), realizou na tarde desta quarta-feira, 15, no Parque Anauá, atendimentos e orientações sobre a prevenção da diabetes. A ação é parte das atividades alusivas ao Dia Mundial do Diabetes, lembrado nessa terça-feira, 14.

Além de testes rápidos de verificação de glicemia e medição da pressão arterial, os roraimenses que foram ao Parque Anauá neste feriado da Proclamação da República tiveram acesso também às orientações de nutricionistas sobre alimentação saudável, prevenção, controle e complicações da doença e à avaliação do IMC (Índice de Massa Corporal).

O pescador Raimundo Pereira da Silva, de 60 anos, foi um dos primeiros a receber atendimento. O teste rápido indicou índice de glicemia de mais de 400. Até então, ele havia feito o teste uma única vez e recebeu dicas de alimentação e foi orientado a procurar uma Unidade Básica de Saúde, para refazer o exame e, conforme o novo resultado, iniciar tratamento.

Raimundo Pereira da Silva talvez faça parte de uma grande parcela da população brasileira que tem diabetes, mas desconhece. De acordo com o coordenador-geral de Atenção Básica do Estado, Sandro Fernandes, dados do Ministério da Saúde estimam que em torno de 7% da população brasileira acima de 18 anos tem a doença e não sabe, por não realizar exames de detecção.

“Em Roraima, a população diagnosticada com diabetes não chega a 3%, então há muitas pessoas com a doença, mas desconhecem o problema. A diabetes acomete cada vez mais a população jovem e traz sérias complicações, entre as quais, amputação de membros. Um número expressivo de internações no HGR [Hospital Geral de Roraima] é por complicações da diabetes”, ressaltou.

De acordo com Sandro Fernandes, a população precisa ficar atenta a indícios da doença. “Se a pessoa tem emagrecimento rápido; sede intensa que não passa; acorda constantemente à noite para urinar, deve procurar uma Unidade Básica e realizar o teste, porque estes são alguns sinais da diabetes”, explicou.

Entre os fatores de risco, estão: a hereditariedade, ou seja, quem tem diabéticos na família deve tomar precauções frequentes para detecção da doença; além da obesidade e do sedentarismo. “As pessoas devem buscar atendimento, a identificação precoce e o tratamento adequado garantem longevidade e qualidade de vida para os diabéticos”, explicou.

Esse comportamento é adotado pela microempresária Noêmia Gomes, de 50 anos, cuja mãe morreu devido às complicações provocadas pela diabetes. Ela realizou o teste de glicemia e comemorou o índice de pouco mais de 120, considerado tolerável para alguém que fez a verificação após o almoço. “Vi no Facebook que a ação seria realizada e vim fazer o teste. Preciso me prevenir, minha mãe morreu por causa da diabetes, tenho uma irmã diabética, pode acontecer comigo”, ressaltou.

Noêmia Gomes também ficou atenta às dicas de alimentação da nutricionista da Coordenadoria de Atenção Básica do Estado, Carla Lima. “Tudo começa por uma alimentação adequada e saudável”, disse ela e acrescentou: “A preferência deve ser por alimentos in natura, frutas e legumes. Quanto mais natural melhor, seu corpo absorve muito mais do que alimentos industrializados, congelados, embutidos, enlatados. O diabético pode consumir moderadamente todo tipo de frutas e legumes; evitar carboidratos e optar por alimento integral, porque age em nosso organismo como se fosse uma vassourinha, varrendo tudo de ruim”, esclareceu.

Todas as pessoas com alteração no teste rápido de glicemia foram orientadas a procurar atendimento nas Unidades Básicas de Saúde, para refazer o exame. Segundo o coordenador-geral da Atenção Básica do Estado, o governo dá suporte no atendimento com endocrinologistas especialistas em doenças metabólicas, entre elas a diabetes. “Hoje a estrutura do SUS [Sistema Único de Saúde] é suficiente pra diagnosticar e tratar essa doença. O importante é descobrir precocemente e mudar o estilo de vida, para garantir mais conforto e longevidade”, afirmou.

Deixe uma resposta