Jornalista do Pará lança livro sobre o jogador do Remo Alcino Negão

Neste sábado, 9, o escritor Mauro Tavernard lança em Macapá sua obra “Alcino Negão Motora-A História do Gigante do Baenão”, que conta a trajetória do herói do Clube do Remo, Alcino Neves dos Santos Filho, considerado o maior ídolo da história do time paraense e eleito atleta do século. O autor é paraense, e escreveu a história para valorizar um dos maiores jogadores do país, e que morreu na decadência. Ele se dedica atualmente à uma publicação sobre o jogador amapaense Bira do Espírito Santo. O lançamento será na Trina Cervejaria Artesanal, no bairro Beirol, em Macapá, às 10h.
A História do Gigante Baenão
O livro tem mais de 500 páginas, destas, 90 são de fotos e ilustrações do jogador do “Mais Querido”. Dividido em cinco partes, cada uma com pequenos capítulos de fácil leitura. Mauro Tavernard entrevistou entre 130 e 170 pessoa e fez um intenso trabalho de pesquisa em revistas, jornais, borderô e vídeos, e nos times pelos quais Alcino passou e CBF. A obra é voltada para a carreira de Alcino no Remo, mas aborda sua passagem por outros times, como Lusa e Grêmio e traz ainda um pôster e a seção extra ilustrada “Os 20 Causos do Alcino”, onde são contadas suas aventuras nos campos e fora deles, que viraram lendas.
Alcino Negão Motora
Alcino nasceu em 1951 no subúrbio do Rio de Janeiro, onde muito cedo se envolveu com drogas e crimes. Em 1970 começou a jogar no Madureira,  e passou pelo Botafogo, Flamengo e Fluminense, mas neste mesmo ano cometeu um assaltou com arma de brinquedo, e antes de ser julgado, fugiu para Belém e começou a jogar no Remo , onde marcou ao todo 177 gols e conquistou muitos títulos entre 1970 e 1975. Em seguida passou por mais de dez clubes em outros estados, mas sem o destaque dos tempos do Remo,  e encerrou a carreira em 1990, aos 39 anos.
Paralelo ao sucesso nos campos, Alcino tinha uma vida embalada por bebida, drogas, noitadas e mulheres, o que levou o autor do livro a considera-lo um anti-herói. Fez muito sucesso com a torcida feminina e chegou a desfilar como modelo. Ao casar, reduziu a vida boêmia, depois voltou, não foi um pai exemplar, mas era muito querido e solidário. Perdeu tudo o que construiu, foi trabalhar como auxiliar de serviços gerais, até encerrar definitivamente a carreira e morar de favor. Alcoólatra, viveu como mendigo, e morreu em 2006.
O autor
Esta história é contada pelo jornalista esportivo Mauro Tavernard, torcedor do Remo, que iniciou a carreira no Diário do Pará, como estagiário, passou pelo O Liberal e assessoria de comunicação do Remo. Em 2016 foi para a Europa, onde cobriu jogos na Inglaterra, Irlanda e Escócia. A motivação veio da experiência internacional, quando observou que os britânicos valorizam seus heróis do futebol, e começou as pesquisas, entrevistas e a captação de recursos para o livro de Alcino. Este foi seu primeiro livro, e está escrevendo mais dois, um sobre a carreira do jogador amapaense Bira do Espírito Santo.
“Alcino era amado e odiado, viveu histórias felizes e tristes, é um livro para quem gostava ou não do Alcino”, disse Mauro, em entrevista. O livro foi lançado oficialmente em junho de 2017, e agora em Macapá, onde Alcindo tem admiradores e muitos entusiastas do futebol paraense. “Aproveito para dar continuidade ao livro sobre o Bira, que brilhou em diversos times, inclusive no Internacional, e foi ídolo nacional, para ser lançado no final de 2018”, disse Mauro.
Serviço:
Lançamento do livro “Alcino Negão Motora-A história do Gigante do Baenão”
Data: 9 de dezembro
Local: Trina Cervejaria Artesanal – Jovino Dinoá esquina com Tupis / Beirol
Hora: 10h
Mariléia Maciel

Deixe uma resposta