Anjos da Guarda: atividades 2017 são encerradas com formatura de 57 jovens

Incentivar a cidadania e promover o conhecimento dos direitos e deveres com a sociedade é o objetivo do projeto Anjos da Guarda, realizado pela Prefeitura de Macapá e coordenado pela Guarda Civil Municipal, que nesta quarta-feira, 13, encerrou suas atividades de 2017 com a formatura e entrega dos certificados das 57 crianças e adolescentes participantes do projeto. A solenidade aconteceu no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) das Pedrinhas.

O Anjos da Guarda busca executar ações socioeducativas para crianças e adolescentes de 11 a 15 anos que vivem em situação de vulnerabilidade social, buscando, por meio de atividades educativas, uma formação ética e moral, visando o resgate de valores sociais indispensáveis ao convívio com a sociedade. “Após 10 meses de intenso trabalho, estamos aqui hoje formando mais uma turma do nosso projeto, um sonho que iniciou em 2009, mas que ganhou ainda mais força desde o ano passado, quando vim trabalhar aqui no Macapá Criança e encontrei um espaço ideal para desenvolvê-los com os nossos jovens, o que tem dado muito certo”, disse o coordenador do projeto, inspetor Marcos Antônio.

As atividades realizadas pelo projeto incluem educação ambiental, educação para a cidadania, cultura, artes, palestras educativas, ordem unida, práticas esportivas, educação religiosa e alimentação saudável. O prefeito de Macapá, Clécio Luís, destacou que, além das crianças, as famílias também são assistidas pelo projeto, que hoje conta com diversas parcerias, como Governo Federal, programa Mesa Brasil, Sesc/Amapá, dentre outros. “Hoje já atingimos uma marca de 600 crianças. São 600 famílias que têm dentro de casa uma perspectiva muito maior de desenvolvimento integral”.

Para a pedagoga Rosinete Serrão, mãe de uma das formandas no projeto, o Anjos da Guarda veio para mudar a realidade desses jovens e deve ser incentivado cada vez mais pelo Município e seus colaborados, para que cada vez mais novas crianças e adolescentes possam ser assistidas com as atividades. “Projetos como esse devem se tornar permanentes em nossa comunidade. Eu, que vim de uma situação de vulnerabilidade social, posso falar com conhecimento de causa, porque, por meio dele e da participação da minha filha nas atividades, minha vida e de minha família mudou para melhor. Essa é a primeira porta e um dos caminhos para que nossos jovens sigam o caminho correto”, disse a pedagoga.

O aluno Edson da Silva, há um ano no projeto, mudou a rotina depois que iniciou no Anjos da Guarda. “Depois que entrei no projeto muito coisa mudou na minha vida, passei a ficar mais em casa e a me comportar melhor. Aqui aprendi a respeitar as pessoas e a planejar o meu futuro. Hoje, tenho outras atitudes em casa e na escola”.

Estiveram presentes durante a solenidade o vereador de Macapá, professor Rodrigo, o comandante da Guarda Municipal, Cel. Ubiranildo Macêdo, o secretário municipal de Assistência Social, Lucas Abraão, a coordenadora municipal de Políticas Públicas para as Mulheres, Anne Pariz, além de representantes do Sesc Amapá, projeto Samulzinho e da Comissão de Proteção à Criança e ao Adolescente da OAB/AP.

Karla Marques

Deixe uma resposta