Caminhada contra intolerância religiosa percorre ruas e avenidas do centro de Macapá

A III Caminhada das Bandeiras contra a intolerância religiosa percorreu ruas e avenidas do centro da capital amapaense com muito axé, banho de cheiro batuque e oferendas para Orixá Exu, na tarde de domingo, 21. O evento é promovido pelas casas e congregações ligadas a religiões de origens africanas e faz parte das comemorações ao Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, que reúne movimentos religiosos e culturais em prol do reconhecimento e valorização da religiosidade afroameríndia, pelo combate ao racismo religioso e à intolerância no país e no estado do Amapá.

“O objetivo deste ato é fazer um grito em protesto contra a intolerância religiosa, principalmente contra as religiões de matriz africana, que são rotuladas com culto aos demônios e não sabemos que não existe nada disso. É dever do Município apoiar essas iniciativas, pois essas pessoas fazem parte de Macapá, cumprem seus deveres, pagam seus tributos, merecem respeito e devemos combater todo tipo de intolerância racial e religiosa”, disse o diretor-presidente do Instituto Municipal de Promoção da Igualdade Racial, Maykom Magalhães.

A mãe de santo Nina Souza, da Comunidade Religiosa Encanto de Iemanjá, evidenciou a finalidade da caminhada. “Temos que agradecer a todos que se vestiram de branco, vieram e estão entendendo qual o sentido de estarmos aqui. Precisamos trabalhar a cultura da paz, respeitar nossos irmãos, das outras casas e congregações, não é só no dia 21 de janeiro, tem que ser um trabalho contínuo”.

O filho de santo Alessandro Brandão avaliou os avanços da caminhada. “Depois da primeira, conseguimos a implantação da Delegacia Específica contra Crimes de Racismo e Intolerância Religiosa. Este ano, abordamos o tema da educação, para que o ensino da cultura afro-religiosa chegue dentro das escolas, não somente no mês de novembro, mas em toda a grade curricular”.

Cliver Campos

Deixe uma resposta