Práticas Restaurativas começam a ser implantadas no Conjunto Mucajá

Situações de conflito são naturais e muito comuns. Problemas familiares, no trabalho, nas instituições de ensino e em diversas outras ocasiões acontecem diariamente e, às vezes, tomam grandes proporções que ficam difíceis de controlá-los. Uma das alternativas para resolver esses conflitos de maneira que gere benefícios para ambas as partes é a implantação das práticas restaurativas, que começaram a ser desenvolvidas neste sábado, 20, com os moradores do Conjunto Mucajá, pela Prefeitura de Macapá e Ministério Público do Amapá.

O secretário municipal de Assistência Social e do Trabalho disse que é fundamental disseminar a cultura da paz e fortalecer os laços comunitários. “A prefeitura, juntamente com o Ministério Público, decidiu que 2018 será um ano dedicado ao desenvolvimento e construção comunitária nos conjuntos habitacionais, especialmente no Mucajá. Fortalecer o espírito de equipe e comunidade será fundamental para que sonhamos juntos com os moradores do Mucajá”, enfatizou.

A reunião ocorreu na Escola Raimunda Virgolino e várias lideranças do Mucajá ganharam voz, como a dona Ilza Silva. “Essa experiência é extremamente importante. Os processos judiciais demoram a ser resolvidos e em algumas situações acabam sendo ineficazes. Uma das partes envolvidas ganha a causa, entretanto, as relações interpessoais permanecem abaladas e o problema pode até evoluir”, declarou.

Lilian Monteiro

Deixe uma resposta