​Mais de 700 mil famílias assentadas aguardam titulação de terras

Foram 26 mil títulos definitivos, que garantem a propriedade da terra para as famílias assentadas. De acordo com o governo Federal a quantia é dez vezes maior que a dos últimos 13 anos.

Os outros 97 mil são títulos provisórios, que transfere o imóvel rural ao beneficiário da reforma agrária em caráter temporário para garantir aos assentados o acesso à terra e aos créditos de apoio à agricultura familiar.

O ministro da Casa Civil Eliseu Padilha afirmou que os Estados da região Norte foram os maiores beneficiários da regularização fundiária.

De acordo com Padilha, a meta para 2018 é maior que a do ano passado. Ainda neste mês uma ação nacional deve entregar 50 mil títulos.

O Movimento Nacional dos Trabalhadores Sem Terra contesta os números apresentados. Alexandre Conceição, da coordenação nacional do MST afirma que concessão de título não é reforma agrária e que área sofreu cortes no orçamento.

De acordo com Alexandre, 130 mil famílias sem terra ainda lutam para ser assentadas.

Também são destaques do Repórter Amazônia dessa quinta-feira, 1:

– No Tocantins, obras são paralisadas por falta de dinheiro

– Projeto no Maranhão oferece leite especial para crianças com intolerância e alergias alimentares

– Mato Grosso lança campanha para erradicar a hanseníase

EBC

Deixe uma resposta