Piscicultora estimula industrialização do pescado em Tabatinga

A empreendedora Neila Castelo Branco, coordenadora do frigorífico Sepror, em Tabatinga, conversou com a Rádio Nacional do Alto Solimões sobre a necessidade de a classe dos pescadores e produtores se unirem para viabilizar a industrialização do pescado e de outros produtos, como o açaí, na região. Segundo ela, a industrialização ajuda a gerar emprego e renda aos moradores.

“Tabatinga é uma cidade estratégica, porque encontramos com Colômbia e Peru. E aqui também é a porta de saída do nosso peixe”. Para ela, estar localizada em uma tríplice fronteira viabiliza a industrialização das espécias nativas de peixe na região.

Ouça a fala de Neila:

Deixe uma resposta

WhatsApp chat