Cientistas descobrem ossada de um dos maiores animais da história

O animal pertencia a um grupo de répteis pré-históricos que habitavam os oceanos da Europa e podiam medir mais de 20 metros

Era primavera na praia de Lilstock, Inglaterra, quando o colecionador de fósseis Paul de la Salle encontrou uma mandíbula gigante. Em 2016, continuou a investigar o local, onde acabou descobrindo mais partes da ossada que, juntas, possuíam um metro de comprimento. Agora, quase dois anos depois da descoberta, os cientistas confirmaram que a mandíbula pertence a um ictiossauro gigante, ordem de répteis pré-históricos que habitavam os mares da Europa há 205 milhões de anos.

Os paleontólogos Dean Lomax, da Universidade de Manchester, e Judy Massare, da Universidade de Nova York, afirmam que a ossada é uma parte incompleta da surangular inferior (osso da mandíbula) de uma espécie semelhante ao Shonisaurus sikanniensis.

Para descobrir a espécie, os paleontólogos visitaram o acervo do Museu Paleontológico de Alberta, Canadá, e compararam a mandíbula encontrada com o maior esqueleto de S. sikanniensis do mundo, que tem 21 metros.

Saiba mais no site Galileu

Deixe uma resposta

WhatsApp chat