Seguem protestos violentos contra o filme que critica Islã

Centenas de manifestantes indignados com um filme que ridiculariza o profeta Maomé incendiaram um prédio do governo no noroeste do Paquistão nesta segunda-feira, causando confrontos com a polícia que mataram pelo menos uma pessoa. Protestos violentos também aconteceram do lado de fora de uma base militar dos Estados Unidos no Afeganistão e na embaixada norte-americana na Indonésia.

Os ataques são os mais recentes de uma onda de violência provocada pelo filme “A inocência dos muçulmanos”, que retrata Maomé como mentiroso, mulherengo e pedófilo. A maioria dos protestos têm como alvo representações diplomáticas dos EUA, como aquele que matou o embaixador do país na Líbia, na noite de terça-feira.

Uma pessoa morreu no Paquistão durante um tiroteio entre a polícia e manifestantes. Em outros lugares do país também ocorreram manifestações pacíficas, como na cidade de Chaman, onde cerca de 3 mil professores e estudantes foram às ruas.

No Afeganistão, centenas de pessoas incendiaram carros e jogaram pedras em uma base militar norte-americana, em Cabul, capital do país. Ao longo do dia, diversos protestos espalharam-se pela cidade.

Em Jacarta, centenas de indonésios entraram em confronto com a polícia no lado de fora da embaixada dos EUA, atirando pedras, bombas caseiras e queimando pneus. Este foi o primeiro incidente violento no país, a mais populosa nação muçulmana do mundo, desde o início da onda de revolta contra o filme. As informações são da Associated Press.

DGABC

Deixe uma resposta