Setor de panificação amapaense terá linha de crédito específica

A iniciativa é uma parceria firmada entre Governo do Estado do Amapá, Sebrae e Aspams, para atender o setor de panificação proporcionando acesso a linhas a crédito, a todas às Micro e Pequenas Empresas para atualização o parque de máquinas

Denyse Quintas

Colaboração: Nelma Pires

Atendendo a solicitação dos empresários do Setor de Panificação, a Agência de Fomento do Amapá (Afap), em parceria com o Sebrae e Associação de Panificadores de Macapá e Santana (Aspams), apresenta nesta terça-feira, 23, às 9 horas, no Sebrae, Linha de Crédito específica às panificadoras do Amapá.

O setor de panificação brasileiro está em fase de modernização de suas unidades de produção e buscando atender à Norma Regulamentadora NR 12 – anexo VI, que impõe exigências às panificadoras e confeitarias para que substituam seus maquinários que não se encontram em conformidade com essa norma (amassadeiras, batedeiras, cilindros, modeladores, e outros). A NR-12, editada pelo Ministério do Trabalho e Emprego em 24 de dezembro de 2010, prevê a substituição obrigatória de equipamentos antigos por novos, para reduzir o número de acidentes de trabalho no país.

A intenção da Afap é proporcionar acesso a linhas a crédito, a todas às Micro e Pequenas Empresas (MPEs) do setor, para que atualizem o parque de máquinas e equipamentos antigos, atendendo à Norma Regulamentadora 12.

Para o presidente da Aspams, Joaquim Neto, esta linha de crédito veio em boa hora. A sociedade amapaense tem acompanhado o crescimento e o desenvolvimento do setor. O Sebrae e todos os parceiros do Projeto Panificação Profissional têm ajudado a melhorar em muitos aspectos o aumento do mix de produtos e serviços para satisfazer todos os momentos de consumo dos clientes, a estrutura física está moderna e muitas panificadoras estão climatizadas, a gestão está a cada dia mais profissional.

Ainda de acordo com o presidente da Aspams, Joaquim Neto, o investimento mais alto está na área de produção e muitos empresários não têm capital suficiente para atender as exigências contidas na NR-12. “A parceria com o governo do estado, por meio da Afap nos concede esta linha de crédito que vai nos ajudar a adquirir esse maquinário necessário, com prazos melhores e custos mais acessíveis à nossa realidade”, disse o presidente Joaquim Neto.

A iniciativa da Afap evidencia seu comprometimento com o setor de panificação amapaense. Às panificadoras que acessarem o financiamento irão se destacar no que tange a modernização de seus equipamentos e ficarão mais tranquilas durante o processo de fiscalização do Ministério do Trabalho, fato que consideramos de vital importância para o crescimento e sobrevivência das panificadoras no mercado.

Segundo estudos recentes apresentados pela Associação Brasileira das Indústrias de Panificação (Abip), na 26ª Superminas Food Ssow, realizada nos período de 16 a 19 de outubro, em Belo Horizonte, para atender a NR-12, às empresas de panificação terão de desembolsar cerca de R$ 115 mil reais, para investir em novos maquinários.

Deixe uma resposta