Manifestaçao de vigilantes da Seed provoca cancelamento de lançamento de edital da cultura

Foto: Chico Tera
Uma manifestação de vigilantes da empresa LMS que presta serviços ao governo do Amapá que estão com salários atrasados e que invadiram o palácio do Setentrião na manha desta quinta-feira, provocou o cancelamento do lançamento do edital de cultura do IEPA programado para as 10 da manha.

 

Sobre o incidente o governador Camilo Capiberibe assim se manifestou:
“Movimentação dos vigilantes parcialmente se deve a questões salariais e nesse aspecto ela é legítima. A outra razão para o protesto foi a publicação ontem do edital de licitação para o contrato de vigilância da SEED. As manifestações, desde que assumi o governo em janeiro de 2011, sempre foram pacíficas. Nunca tivemos, como hoje, a invasão do Palácio do Governo. Só posso enxergar nessa escalada os interesses contrariados. O contrato executado hoje pela LMS de R$ 43 milhões/ano, licitado no governo anterior, é o maior do GEA. Foi a disputa por ele que provocou a investigação que redundou na operação Mãos Limpas levando ex-governador e demais autoridades à prisão. O contrato foi prorrogado no final do ano passado por mais um ano pelo judiciário e a licitação que estava em andamento foi cancelada. A grande tensão diz respeito ao edital que lançamos e que prevê onze lotes, ou seja, onde existia espaço para uma única empresa haverá para diversas. O contrato será dividido e o maior lote terá o valor de R$ 5 milhões/ano. Obrigado”

Deixe uma resposta