clarinquieto: Só os pesos pesados

 

Sabe aquele pastor preconceituoso, pois é, outro dia ele fazia uma preleção em seu programa radiofônico sobre a comprovação histórica da arca de Noé. Até aí tudo bem, as pessoas tem o direito de acreditar no que bem entender. Todavia, afirmar que as pessoas que não compartilham de sua crença são uns estúpidos e que este, ou aquele, livro sagrado é um manual infalível a reger a conduta humana é no mínimo um anacronismo.

 

 

Ainda em tenra idade comecei a questionar fatos de qualquer natureza, religiosos ou não, desde que extrapolassem o universo da lógica, o que me fez confrontar sempre com a fé simples de minha mãe que sintetizava seu fervor religioso em poucas palavras:”Você tem apenas que crer sem questionar, são mistérios divinos.” Isso era exatamente o contrário de tudo em que sempre acreditei, a fé cega. Não aceito dogmas e, com o passar do tempo, me tornei um iconoclasta.

 

 

Voltemos ao nosso estimado pastor e tomemos como exemplo a arca de Noé. Desejaria que ele me explicasse sem o artifício de se escudar na fé, como Noé conseguiu colocar naquela pequena embarcação, que nem de longe lembra em proporções um cargueiro mediano dos dias de hoje, um casal de cada espécie?

 

 

Bem comecemos pelas proporções da arca, que de acordo com a bíblia media 300 côvados de comprimento; 50 côvados de largura e 30 côvados de altura. Considerando que a medida de um côvado varia entre 45 e 60cm, sendo a medida de 45cm a mais aceita, teremos 135m de comprimento; 22,5m de largura e 13,5m de altura.

 

Devemos considerar primeiramente que suas divisões internas deveriam respeitar as diferenças de espécies, ou seja, não deixar pequenos herbívoros no mesmo compartimento de grandes predadores, o que já diminui sobremaneira o espaço disponível. Segundo, a arca permaneceu por 392 dias à deriva e era totalmente fechada, vez que, de acordo com os relatos bíblicos, chovia sem parar.

 

 

Tomemos apenas quatro espécies consideradas pesos pesados no mundo animal: elefantes, hipopótamos, rinocerontes e girafas. Estes animais consomem em média 125 kg de folhas; 200l d’água, que transformam em 91kg de dejetos. Tudo isso diariamente. O que significa que Noé teria que armazenar somente para os quatro casais de pesos pesados 40 toneladas de comida; 64.000L d’água e teria que colocar em algum lugar já que a arca era fechada, 28.992 kg de fezes. Tudo isso somente para 40 dias, Mas calma, não foram apenas 40 dias,  como mostrarei adiante. Ah! Além do casal de cada espécie Noé teria que levar animais extras para servirem de alimento para os carnívoros, pois pelo que me consta leão não come capim. Não devemos esquecer também o peso dos próprios animais. 

 

 

Senhores tentem imaginar a barulheira, a fedentina, sem contar com o vômito de Noé e sua família, pois as águas estavam revoltas e arca deveria balançar loucamente, e tudo isso durante 40 dias. E o alimento para a família de Noé que era bem numerosa? Devemos acrescentar a esses números mais 150 dias, pois de acordo com Genesis 7:19;20, as águas ultrapassaram em 15 côvados  a altura dos montes mais altos e toda a terra permaneceu coberta de água por mais 150 dias(Gênesis 7:24). Portanto, sem alimentos para esse grande zoológico, a não ser aquele previamente estocado por Noé, que nos leva a mais 150.000 kg de folhas; 240.000L d’água e, é claro 109.200kg de fezes. No total: 190.000kg de folhas; 304.000L d’água e, que horror, 138.192kg de fezes. Isso apenas de nossos queridos pesos pesados.

 

 

Vale lembrar que o dilúvio se deu no segundo mês do ano em que Noé completara seiscentos??? Anos. Mais adiante, em Gênesis 8:4, está escrito que no dia dezessete do sétimo mês a arca pousou sobre o monte Ararat, e que após 40 dias (Gênesis 8:6) Noé abriu a janela da arca e soltou primeiro um corvo e depois uma pomba que iam e voltavam, pois não tinham onde pousar a planta do  pé. Noé esperou sete dias após o que soltou novamente a pomba que retornou com um ramo de oliveira no bico (Gênesis 8:9;10;1;12). No dia do 27 do segundo mês do ano seiscentos e um (Gênesis 8:14), ou seja ou seja, 1 ano e 27 dias após o início do dilúvio, Deus manda Noé sair da arca com todos os animais. Todo esse tempo os nossos queridos pesos pesados se alimentando apenas do estoque feito por Noé. 

 

 

Por mero apego à arte do cálculo vamos fazer tudo de novo. Calma senhores me aterei apenas às fezes de nossos queridos pesos pesados que durante esses 392 dias de agradável passeio pelos mares do planeta brindaram Noé com nada menos que 285.376 kg do melhor estrume. Pelo menos Noé já tinha bastante adubo para começar a cultivar a terra.

 

Então meu caro pastor, o que me diz? Ou o senhor nunca havia pensado nisso? Acredito que não, pois é muito mais fácil não pensar e continuar na sua zona de conforto, mantendo suas ovelhas na mais santa ignorância. Além do que, esse tipo de comentário é perigoso para o seu rentável negócio da venda de milagres. Ora direis, o dízimo está previsto na bíblia, muito espertos esses Levitas!!! Ah! O primeiro deles foi Aarão, irmão de Moisés que o elegeu para o cargo em um descarado exemplo de nepotismo.

 

 

Eu ia me esquecendo de falar para o nobre pastor sobre o arco da aliança, que diferentemente do que pensa, é apenas um belo milagre de beleza da natureza. Todavia não passa de um fenômeno oriundo da passagem da luz pelo prisma de cristais de água em suspensão. Nada mais!!!  A isso caro pastor, chamamos lógica!!!  O que para o senhor é estúpido eu chamo de cartesiano.                            

By Douglas Martínez

clarinquieto: SÓ OS PESOS PESADOS.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: