Duzentas mil pessoas são afetadas pela chuva no estado do Rio, diz Defesa Civil

Homem de 50 anos morre atingido por uma árvore no Alto da Boa Vista

Foto: Jornal do Brasil
Foto: Jornal do Brasil

Um homem de 50 anos morreu na manhã de hoje (4) atingido por uma árvore no Alto da Boa Vista. Segundo o Corpo de Bombeiros, Roberto Maggessi de Souza trabalhava próximo a uma encosta quando houve um deslizamento de terra com queda de árvores. No momento do acidente, chovia intensamente no local. Ele era irmão da ex-deputada federal Marina Maggessi. Essa é a segunda morte confirmada no estado em decorrência da chuva. Ontem (3), uma pessoa morreu em Xerém, distrito de Duque de Caxias, onde o rio Capivari subiu ao nível das pontes e alagou diversos bairros.

A Defesa Civil do município registrou 14 ocorrências sem gravidade, entre 5h31 e 10h30 desta sexta-feira. A secretaria municipal de Assistência Social informou que, desde o início da tarde de ontem (3), 70 famílias ficaram desalojadas em decorrência da chuva. Os bairros mais prejudicados são Santa Cruz, Pedra de Guaratiba, Bangu e Inhoaíba, todos na zona oeste.

Em entrevista ao Bom Dia Rio, o secretário estadual de Defesa Civil, Sérgio Simões, atualizou os dados sobre os problemas gerados pela forte chuva que atingiu o estado nas últimas horas. Segundo ele, 200 mil pessoas foram afetadas pela chuva em oito municípios, sendo quatro na Baixada Fluminense, dois na Região Serrana e dois na Costa Verde.

Sergio Simões explicou que, em razão do acumulado de chuvas, o solo está saturado na região da Costa Verde e na região Serrana, portanto há possibilidade de novos deslizamentos de encostas.

A chuva diminuiu de intensidade na madrugada desta sexta-feira na Baixada Fluminense, mas o estágio de alerta máximo foi mantido em Duque de Caxias.

Já na Costa Verde e na Região Serrana Voltou a chover forte na madrugada desta sexta-feira.

A forte chuva – que atinge o estado do Rio desde terça-feira (1º), com maior intensidade na madrugada de ontem (3) – forçou a saída de 4.893 pessoas de suas casas, segundo boletim divulgado na manhã de hoje (4) pela Defesa Civil Estadual.

Em Angra dos Reis, no sul do estado, houve transbordamento do Rio Perequê, no distrito de Mambucaba, e do Rio Caputera. Nove casas foram destruídas e 38 ficaram danificadas.

De acordo com a Defesa Civil Estadual, 320 pessoas ficaram desalojadas, 160 estão desabrigadas e 2.380 precisaram ser removidas.

Em Mangaratiba, na mesma região, houve rolamento de pedras na BR-101 e na Estrada Junqueira. Cinco imóveis foram danificados e um acabou destruído. Há 90 pessoas desalojadas.

Em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, o Rio Capivari está acima do leito normal, o que impede o desague dos demais cursos d´água. Há 550 desalojados e oito desabrigados na cidade, que apresenta inundação em diversas ruas.

Em Duque de Caxias, a maior gravidade é no distrito de Xerém, onde 45 casas foram destruídas e 200 danificadas. Uma pessoa morreu, mil estão desalojadas e 270 foram acolhidas em seis abrigos.

O município de Seropédica, na região metropolitana, sofreu com o transbordamento do Rio dos Bois, o que provocou danos em 17 casas e deixou 35 moradores desalojados.

Na Região Serrana, o município de Teresópolis registra 50 pessoas desalojadas, depois do transbordamento do Rio Paquequer e de alagamentos nas localidades do Alto, Várzea, Vale da Revolta e Caxangá. Em Petrópolis, o transbordamento dos rios Bingen e Piabanha deixaram 30 desalojados. Três casas foram destruídas e quatro, danificadas. Foram registrados deslizamentos nos bairros Alto Independência, Siméria e São Sebastião.

Durante o dia de ontem, várias secretarias se mobilizaram para ajudar a população afetada. A Saúde disponibilizou cinco ambulâncias com tração 4×4 que estão sendo direcionadas para Angra dos Reis, Mangaratiba, Duque de Caxias e Região Serrana. A Defesa Civil também enviou um coronel para os municípios de Duque de Caxias, Petrópolis, Teresópolis, Mangaratiba e Angra dos Reis para fazer o elo de informações entre o Estado e a Defesa Civil Municipal.

Diante da previsão de chuva forte e moderada durante a madrugada desta sexta-feira em Nova Friburgo, 40 homens do Corpo de Bombeiros e da Secretaria de Governo foram enviados em caráter preventivo para a região.

Segundo a meteorologista da Defesa Civil, Michele Lima, a frente fria que chegou ao estado vai provocar chuvas contínuas até esta sexta-feira. No sábado e domingo há previsão de melhora no tempo, mas com possibilidade de pancadas de chuvas nas regiões já afetadas.

Duque de Caxias e Angra dos Reis foram os municípios que mais registraram precipitações. Em Angra, choveu 70% do esperado para o mês de janeiro inteiro e, em Caxias, 58%, com acumulados de 212 mm/24h e 208 mm/24h respectivamente. Na Região Serrana, o acumulado é de 34% do esperado para o mês.

A Secretaria de Educação trabalha em parceria com a Defesa Civil, Empresa de Obras Públicas do Estado (Emop) e a Secretaria Assistência Social e Direitos Humanos, entre outros.

Até esta quinta-feira (3), 59 escolas foram afetadas nas cidades de Duque de Caxias (34), Angra dos Reis (4), Belford Roxo (1), Casimiro de Abreu (1), Conceição de Macabu (1), Mangaratiba (1), Miguel Pereira (1), Nilópolis (1), Nova Iguaçu (1), Paraty (1), Paty de Alferes (1), Rio de Janeiro (3), São João de Meriti (5), Silva Jardim (3) e Valença (1).

Os principais problemas foram inundações, desabrigados, dificuldade de acesso e problemas de infraestrutura (acesso à internet, falta de energia, perda de equipamentos, entre outros).

Fonte: Jornal do Brasil

Deixe uma resposta